Vitiligo – Saiba como identificar, tratamento, curiosidades. Tem cura?

Vitiligo é uma doença dermatológica que se caracteriza pela perda da coloração da pele. Áreas despigmentadas surgem pelo corpo devido à ausência de melanócitos, que são as células que produzem melanina e dão cor para a tez – parte visível da pele. Não se conhece os motivos da que causam a doença, mas de acordo com estudos de especialistas há possibilidades de que esteja relacionada com problemas autoimunes.

Em alguns casos mais graves a doença chega a formar lesões cutâneas e hipopigmentação, ou seja, mantendo uma coloração desigual ao restante da pele. Manchas brancas são os principais sintomas da doença, os principais danos são estéticos, mas pouquíssimas vezes chegam a causar dor.

Sintomas

A doença tem como característica a não produção de sintomas graves. De maneira geral, pessoas que têm vitiligo enfrentam somente os seguintes sintomas:

  • Descoloração da pele em pontos específicos, deixando manchas esbranquiçadas pelo corpo, podendo atingir inclusive a área do rosto;
  • Surgimento prematuro de fios de cabelos brancos, por conta da deficiência de pigmentação;
  • Em casos específicos, há pessoas que sentem sensibilidade na área afetada pela descoloração ou ainda uma leve dor ao ter a pele pressionada;
  • Problemas com autoestima, que são sintomas secundários e estão associados a questões de imagem e autoconfiança.

vitiligo doença

Tipos de vitiligo

Os médicos especialistas costumam classificar o vitiligo em dois tipos, o unilateral e o bilateral, também chamados de segmentar e não segmentar, respectivamente.

Unilateral: quando manchas esbranquiçadas surgem em somente uma parte do corpo, o que acontece quando o paciente é mais novo. Também há a descoloração dos pelos;

Bilateral: ocorre quando as manchas surgem em ambos os lados do corpo. Neste caso, essas lesões são mais comuns em extremidades, como pés, joelhos, cotovelos, mãos, boca e nariz.

O vitiligo bilateral aparece em épocas específicas e é seguido de fases de estagnação da doença. Isso pode acontece por toda a vida do paciente, com as manchas se tornando maiores a cada novo ciclo.

Como fazer o diagnóstico

O diagnóstico da doença é feito pelo médico especialista, que é o dermatologista. Comumente não se faz necessário realizar exames para comprovação do vitiligo, mas em alguns casos eles podem ser solicitados pelo profissional.

Um dos exames mais pedidos é a biopsia cutânea, que indica a ausência das células de pigmentação. Outro teste bastante solicitado, especificamente para pacientes com pele branca é o exame com lâmpada de Wood.

O histórico familiar do paciente também é levado em conta no momento do diagnóstico, uma vez que aproximadamente 30% das pessoas que têm vitiligo também possuem familiares que enfrentaram a doença.

Portanto, ao notar manchas brancas na pele o correto é sempre consultar um dermatologista, para diagnosticar o vitiligo e identificar se há outras doenças associadas a ele.

Tratamentos mais recomendados

O vitiligo não tem cura, mas o paciente que for diagnosticado pode fazer tratamentos especiais que têm como foco evitar o surgimento de novas manchas ou então o aumento das preexistentes, estabilizando a doença.

Nesse caso, os medicamentos para vitiligo mais utilizados são os esteroides, que reduzem inflamações e estimulam o crescimento/ reparação do tecido, melhorando a saúde da pele.

Também existem tratamentos que levam à repigmentação da pele, minimizando o efeito deixado pelas manchas brancas, procedimentos que são uma ótima pedida para quem está mais preocupado com questões estéticas.

Para repigmentar a pele há tratamentos feitos com medicamentos como tacrolimus derivado de corticoide e da vitamina D. Outra opção é a fototerapia com raios UVB-mb ou ultravioleta A.

Em casos específicos existe a possibilidade de utilizar tratamentos a laser, cirurgias ou transplantes de células melanócitos, para repigmentar as áreas lesionadas e igualar a tonalidade da pele.

É importante lembrar que essas opções de tratamento para inibir o vitiligo e eliminar as lesões provocadas por ele devem sempre ser indicadas por um dermatologista. Não faça automedicação e não adote um dos procedimentos estéticos sem consultar um profissional, para ter melhores resultados.

Prevenção

Pessoas já diagnosticadas com vitiligo podem evitar o surgimento de novas manchas ou então iniciar o aumento das lesões já existentes. Para isso, basta usar roupas mais soltas e que não provoquem pressão ou atrito sobre áreas manchadas.

Há especialistas que dizem que a doença pode ser desencadeada por estresse, por isso também é importante evitar vivenciar constantemente esse tipo de situação / sensação, seja para pacientes ou pessoas que não desenvolveram a doença.

Recomendados para você:


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Leave a Reply