Vasectomia – Saiba Tudo Sobre o Procedimento e Acabe com Suas Dúvidas

A vasectomia é um procedimento contraceptivo, ou seja, serve para evitar uma possível gravidez. Ela acontece por meio de intervenção cirúrgica nos homens, deixando-os estéreis. Corresponde à laqueadura na mulher, porém é muito mais simples e possuí menos complicações. Ambas as opções podem ser feitas por casais que optam por não ter mais filhos.

Apesar de bastante simples, não é uma cirurgia muito popular. Os homens têm receio de fazê-la, mesmo sendo bastante segura. Muitas dúvidas giram em torno dela, e aqui vamos responder todas as possíveis perguntas que surgem na cabeça do homem a respeito do assunto.

O que é Vasectomia?

É um método contraceptivo, realizado através de uma pequena cirurgia para deixar o homem infértil. São cortados os canais que levam os espermatozoides até o líquido do esperma, também conhecidos como canal deferente. Desse modo, o homem continuará ejaculando, porém sem a presença dos espermatozoides no sêmen.

O homem que optar por fazer a cirurgia se tronará infértil e não poderá mais ter filhos. Apesar de a vasectomia ser reversível, em metade dos casos ela é considerada definitiva. Então é preciso pensar bem na decisão e conversar com um médico a respeito do procedimento.

É também conhecida como deferentectomia e é um método contraceptivo seguro, simples e eficaz. E apesar de nenhum método apresentar 100% de efetividade, a chance de falhas é menos de 1%.

Como é Feita a Vasectomia?

A cirurgia dura em torno de 20 minutos e por ser bastante simples, pode ser realizada no consultório médico. É normalmente feita por urologistas ou cirurgiões geral, sem necessidade de anestesia geral ou internação.

Na vasectomia é aplicada uma anestesia local no escroto, com uma agulha bastante fina. Pode-se também ser utilizado um spray com pressão, o suficiente para atingir os tecidos mais profundos. É então realizada uma pequena incisão na pele da bolsa escrotal, para deixar o canal (duto) deferente visível.

Depois disso é feita uma secção bilateral de ambos os dutos. As extremidades formadas são amarradas ou eletrocauterizada para que não haja a recanalização. Isso porque o corpo tentará curar a lesão, que poderia fazer com que a cirurgia não obtivesse sucesso.

Vasectomia sem Bisturi

Essa técnica, diferente da tradicional, não usa bisturi para ser realizada. Não há nenhuma incisão e a cicatrização é espontânea. Os riscos de infecções e sangramentos são reduzidos, assim como os desconfortos do pós-operatório. Não deixa nenhuma cicatriz visível e é tão efetiva quanto a vasectomia normal.

É feita uma punção com o auxílio de uma pinça especial e pontiaguda na pele escrotal, já anestesiada previamente, para dissecar o duto deferente. Então eles são cortados e as extremidades do canal são clipadas com um clip especial de titânio. Não é necessário fazer pontos no paciente.

Pós-Operatório

Mesmo a vasectomia sendo um procedimento bem simples, vai ser necessário ter alguns cuidados de pós-operatório. Veja abaixo o que fazer para evitar complicações:

  • O paciente pode sair do consultório logo após a vasectomia, sem necessidade de internamento. Mas ele deverá retornar ao trabalho somente depois de 2 dias, para atividades mais tranquilas, e em 7 para aquelas que exigem maiores esforços.
  • Ele deverá ficar de repouso nesses dois dias, colocando uma bolsa de gelo sobre o escroto, para evitar inchaços. Quanto mais inchado fica a região, mais dolorida e mais demora para que haja a cicatrização completa.
  • Será necessário o uso de suspensório escrotal por 10 dias após a cirurgia. O acessório garantirá mais conforto ao paciente.
  • As relações sexuais só devem retornar após 10 dias.
  • 60 dias após o procedimento, e ao ter tido pelo menos 20 ejaculações, o paciente deverá fazer um espermograma, ou seja, o exame do líquido seminal. Isso serve para averiguar se a cirurgia foi bem sucedida.
  • O paciente deve continuar se prevenindo através de outros métodos contraceptivos até sair os resultados do espermograma.

Complicações

A incidência de complicações pós-cirúrgica é muito baixa. Mas nenhuma delas está ligada à problemas sexuais e são complicações possíveis em quaisquer cirurgia cutânea. Veja abaixo:

  • Dor cutânea. Que pode facilmente ser tratada com medicamentos, porém às vezes é recomendada a retirada do epidídimo. Ele é uma glândula que armazena os espermatozoides produzidos pelo testículo.
  • Riscos de infecções, sangramentos e ferimentos passageiros.
  • Formação de granuloma – granulação de tecidos em processos infecciosos.
  • O canal deferente pode sofrer recanalização espontânea, tornando o homem fértil novamente. Mas normalmente está ligada à experiência dos cirurgiões e acontece em menos de 1% dos casos.
  • Existe também uma complicação que ocorre entre 5% a 30% dos casos, chamada de síndrome da dor pós-vasectomia, em que existe a dor crônica persistente.

Perguntas Frequentes

O método é bastante comum, se tornando o mais popular em alguns países, como China e Índia. No Brasil o número de vasectomias feitas vem aumentando cada vez mais, porém a falta de conhecimento ainda gera dúvidas sobre o procedimento. Veja algumas das perguntas mais comuns e as respostas delas.

Quem pode realizar o procedimento?

A lei 9.263, publicada no Diário Oficial da União em agosto de 1997, permite a vasectomia para homens que possuem mais de 25 anos ou que possuam dois ou mais filhos. É também recomendada nos casos em que a gravidez da mulher poderá gerar risco de vida.

Os homens deveriam pensar na vasectomia como um procedimento definitivo, apesar de ter reversão. Ele deverá estar seguro de sua decisão. Se ele pensar muito sobre a reversão, pode ser que não esteja preparado para isso.

A vasectomia influencia a vida sexual?

As complicações da cirurgia não estão relacionadas aos problemas de caráter sexual. O homem continuará tendo ereções, orgasmos e ejaculando normalmente. Apenas dos espermatozoides não chegaram ao líquido do sêmen, mas esse será expelido normalmente.

A vasectomia é reversível?

Apesar de metade dos casos serem reversíveis, ela deve ser pensada como algo definitivo. Cada caso é um caso e em cirurgias feitas há menos tempo, as chances de sucesso são maiores do que em vasectomias realizadas há mais tempo. Além disso, o processo de reversão é muito mais complicado, exige internação hospitalar e anestesia troncular. Lembre-se que o homem poderá armazenar o esperma congelado, caso venha a mudar de ideia no futuro.

Para onde vai o esperma depois da vasectomia?

O homem continuará expelindo a mesma quantidade de fluído de sêmen, porém sem conter espermatozoides. E os espermatozoides continuam a ser produzidos, porém não deixam o corpo através da uretra. Eles se dissolvem e são absorvidos normalmente com o organismo.

Recomendados para você:


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (22 votes, average: 4,73 out of 5)
Loading...