Zika vírus é contagioso? Como funciona a transmissão e a microcefalia na gravidez

A zika é uma doença viral não contagiosa da família Flaviviridae, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo transmissor da dengue, febre amarela e febre chikunguya. A doença é endêmica nos países tropicais como o Brasil e Africa. Os principais sintomas da patologia são febre, dores nas articulações, dores musculares, dor de cabeça, erupções na pele, diarreia – sinais semelhantes ao da dengue, só que mais brandos. A zika ficou conhecido por desenvolver microcefalia nos bebês em período gestacional.

A transmissão do zika vírus iniciou com um macaco da família Rhesus, na Uganda na década de 1940, o vírus era uma mutação do da febre amarela. Toda vez que um mosquito pica uma pessoa ou macaco infectado, ele se torna um transmissor da doença. Assim que o vírus se instala no inseto é necessário 10 dias para que ele se multiplique e chegue às glândulas salivares do Aedes, então quando o mosquito picar outra pessoa a contaminará.

como o Zika Vírus pode ser transmitido

Confira as possibilidades de como o Zika Vírus pode ser transmitido

  • Por meio de relações sexuais (secreção vaginal ou sêmen);
  • Saliva;
  • Fluidos biológicos;
  • Leite materno;
  • Urina;
  • Sangue.

A presença do vírus nesses fluidos do corpo não necessariamente podem transmitir a doença para outra pessoa. Até o momento nenhum estudo mostrou que o vírus é capaz de se replicar em qualquer um desses fluidos, mas não é descartada a possibilidade de que isso aconteça.

O índice de contaminação por outras vias, que não a picada do mosquito, são muito baixos, mas possível. No sêmen foi constatado que o vírus consegue permanecer após 30 a 40 dias depois do tratamento da doença. Já nas mulheres  a secreção vaginal abriga o vírus por menos tempo, aproximadamente 11 dias em seguida a cura. Como há possibilidade de contagio por via sexual recomenda-se usar preservativo por até dois meses após o desaparecimento dos sintomas.

Mesmo a saliva podendo armazenar o vírus por longo tempo após a cura da doença, não foi constatado nenhum caso de zika por transmissão através de tosse, espirro, beijos ou relações sexuais que envolvam a saliva.

Zika Viíus - Alerta contagiosoOs homens contaminados pelo vírus que mantêm relações sexuais com mulheres grávidas devem usar contracepção de barreira (camisinha masculina ou feminina) durante toda a gestação, até o nascimento do bebê.

As grávidas devem manter uma atenção especial em relação à picada de mosquito, principalmente aquelas que moram em regiões quentes, próximo de córregos, rios, lagos e locais que contêm água ou regiões endêmicas. Afinal, as gestantes que têm a contaminação durante a gestação correm o risco de passar a doença para o bebê por meio do sangue no cordão umbilical. E principalmente até os 6 meses de gestação há grandes chances de desenvolvimento da microcefalia.

Contagio de Zika Vírus em mulheres grávidas e a relação com microcefalia

Apesar do zika vírus existir por bastante tempo, foi somente em 2015 que o primeiro caso foi relatado no Brasil, acredita-se que tenha acontecido pela visita de algum turista na época da Copa de 2014. No mesmo ano o Ministério da Saúde descobriu por meio do estudo de uma médica do norte do Brasil, a relação do nascimento de vários bebês com microcefalia com a contaminação do zika.

O risco de desenvolvimento da microcefalia no bebê é maior para as mulheres com até 3 meses de gestação. Esta é a fase em que o feto está sendo formado. Também há risco para aquelas que foram contaminadas durante o 4° ao 6° mês, pois é quando há formação de grande parte dos órgãos, inclusive do cérebro. A partir do terceiro trimestre ( do 6° ao 9° mês) a possibilidade de má formação é baixa.

As mulheres que apresentam cura antes do término da gestação dificilmente dão à luz bebês diagnosticados com microcefalia, mas ainda não se tem certeza de que o desaparecimento dos sintomas elimine o risco da má-formação.

Estudos calcularam que há mais riscos de contaminação pelo vírus nos primeiros meses de gravidez, o que significa que 1 em cada 7 mulheres (14%) terão um filho com microcefalia. Para evitar o ocorrido deve-se eliminar os focos do inseto (tudo que tenha água parada) e usar repelentes.

Microfalia - Zika Vírus

Que cuidados tomar

Para quem está tentando engravidar a recomendação é cautela, deve-se certificar de que o seu parceiro não foi contaminado nos últimos dois meses, no mínimo, e caso a mulher tenha contaminação deve-se esperar ao menos 8 semanas após o desaparecimento dos sintomas para uma nova tentativa de gravidez.

Não existe uma determinação que recomenda a suspensão da gravidez, nem mesmo para as regiões endêmicas. O assunto é polêmico e as autoridades de saúde não emitiram opinião sobre a situação. Desde o surto de contaminação do zika vírus em 2015, aproximadamente 99,5% das mulheres deram à luz filhos sem microcefalia, de acordo com dados do Ministério da Saúde com base nos nascimentos registrados. Isso, no entanto, não elimina o risco.

A única recomendação formal é de que as mulheres mantenham mais cautela e que haja uma mobilização comunitária para eliminação dos focos do mosquito Aedes, além de apresentar o risco, não somente, da curável zika, mas da dengue, febre amarela e chikunguya.

Saiba como se prevenir contra o Zika Vírus AQUI! e tire suas dúvidas sobre a doença de uma vez por todas!

Zika Vírus - Contágio na Gravidez

Entenda como funciona a microcefalia

A microcefalia é uma deformação no formato da cabeça em que o tamanho é ligeiramente menor do que o padrão normal para a idade. A doença, no caso da contaminação de zika, se manifesta ainda durante a gestação e é diagnosticada no inicio da vida. Nesse caso o cérebro fica impedido de crescer o suficiente, o que causa posteriores problemas de aprendizagem e desenvolvimento.

O tratamento adequado melhora a qualidade de vida e desenvolvimento da criança. Além da zika, a microcefalia pode ser causada por fatores genéticos e ambientais, como toxoplasmose congênita na gravidez, fenilcetonúria, desnutrição na gestação, exposição a álcool, cigarro ou drogas entorpecentes durante a gestação, infecção congênita e rubéola.

Sintomas do Zika Virus – Como é feito o diagnóstico

Mosquito - Contágio Zika VírusApós a picada do mosquito contaminado a pessoa demora uma média de 3 a 12 dias para ter os primeiros sinais da contaminação, em geral a doença é bastante silenciosa: apenas 1 em cada 5 pacientes desenvolvem os sintomas.

O primeiro sintoma a aparecer é a febre baixa (entre 30°C e 38,5°C), dores no músculo, sensação de fraqueza e dores de cabeça. No entanto, são vários os sintomas que podem acontecer, principalmente caso sejam negligenciados. São eles:

  • Vermelhidão na pele (rash) – geralmente aparecem na face;
  • Coceira;
  • Dificuldade de olhar para a luz (fotofobia);
  • Dor nos olhos;
  • Dor nas articulações principalmente dedos dos pés e mãos;
  • Dor no fundo dos olhos;
  • Cansaço;
  • Conjuntivite;
  • Dor abdominal;
  • Diarreia;
  • Prisão de ventre;
  • Aftas;
  • Tontura;
  • Perda de apetite.

Da mesma forma que as outras doenças transmitidos pelo mosquito Aedes, a zika também trás possibilidades de desenvolvimento da síndrome de Guillain Barré (SGB), esta doença provoca problemas neurológicos e acontece de forma progressiva, provocando perda de força muscular, dores de cabeça e em casos mais graves possibilidade de dificuldades no aprendizagem e retardo mental.

Tratamento do Zika Vírus

A febre Zika é um processo infeccioso benigno e autolimitada, ou seja, cura sozinha após 2 a 7 dias da infecção. Ao contrário da dengue ela não apresenta possibilidade de hemorragias e dores intensas, em geral os sintomas são muito semelhantes, mas a contaminação pelo zika vírus é mais branda que os outros casos transmitidos pelo mesmo mosquito.

O tratamento recomendado para a zika é somente o repouso, ingestão de bastante água e alimentos que possuam vitamina C, pois fortalecem o sistema imunológico. A febre deve ser amenizada com o uso de antitérmicos que não contenham outras funções, como por exemplo o paracetamol. Assim como na dengue, não é recomendado o uso de medicamentos à base de aspirina ou anti-inflamatórios.

O zika vírus, assim como a dengue e a chikunguya, não apresenta vacina. A febre amarela contém vacinação que deve ser renovada de dez em dez anos.

Posso pegar Zika Vírus mais de uma vez?

Ao contrário da dengue, não é possível adquirir zika vírus mais de uma vez. Até agora aqueles que foram contaminados adquiriram imunidade à doença, mas os médicos relutam e dizem haver possibilidades de novas ocorrências, caso aconteça mutações do vírus.

Recomendados para você:


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...