Serotonina – O que é? Sintomas de baixa e alta e onde encontrar nos alimentos

A serotonina é um neurotransmissor produzido naturalmente pelo corpo que tem a função de regular o humor, apetite, sono, o ritmo cardíaco, a temperatura corporal e algumas atividades cognitivas. Baixos níveis da substância no sangue podem causar depressão, dificuldades de concentração e tristeza profunda. Para regulá-la são recomendados técnicas,hábitos saudáveis de vida e, em casos mais  extremos, a suplementação via medicamentos.

No entanto, se engana quem acredita que esta substância atua sozinha na regulação do humor. Conforme indica a pesquisadora Loretta Breuning, autora do livro Habits of a happy brain (“hábitos de um cérebro feliz”, em tradução livre) é a união de quatro substâncias que indicará o bem-estar de alguém: a endorfina, oxitocina, dopamina e serotonina, também conhecidos como ” hormônios da felicidade”.

serotonina

Funções da Serotonina no corpo

Conforme indica pesquisas como a feita pelo Laboratorio Bio Líder este hormônio desempenha diferentes funções no organismo tais como:

  • Controle da temperatura corporal;
  • Controle do comportamento alimentar e sexual;
  • Controle do ciclo da dor;
  • Controle motor;
  • Desencadeamento de ansiedade;
  • Ritmo cardiovascular;
  • Ritmo cardiovascular durante o sono.

Já a outra tríplice da felicidade atuam em situações correlatas, igualmente chaves para a sensação de bem-estar. As endorfinas, são importantes para “mascarar a dor física” como sugere a pesquisadora Breuning. A dopamina é descrita pela autora como a medidora de prazer e a criadora da força de vontade. Por último, a oxitocina – qual ficou popular por ser liberada nos abraços – é a que faz o controle das emoções sociais, inclusive a sensação de amor ou raiva.

Valores de referência da Serotonina

A falta de plaquetas no sangue também pode interferir na ação da serotonina no organismo, já que estas substâncias sanguíneas são as que carregam o hormônio, tendo também como função a coagulação.

SoroHomensMulheres
Normal40 a 200 ng/ml 80 a 200 ng/ml
Intermediário200 a 400 ng/ml 200 a 450 ng/ml
Desreguladoacima de 400 ng/mlacima de 450 ng/ml
Urina 50 a 250 µg/24 h 
Plaquetas1,8 a 7,5 ng/ml
Serotonina plaquetária
215 a 850 ng/109

Referência utilizada para os valores feitos nos exames do Laboratório Bio Líder.

Sintomas da serotonina Baixa

Quem está abaixo do valor de referência pode sofrer com uma série de doenças e sintomas associados a perda de uma das substâncias do “quarteto fantástico” . Quando o assunto é falta de serotonina, os sinais são:

  • Dificuldade ao levantar pela manhã;
  • Tristeza profunda e sem causa aparente;
  • Irritação;
  • Sonolência durante o dia;
  • Falta de apetite sexual;
  • Compulsão alimentar;
  • Dificuldades de concentração;
  • Dificuldades de aprendizado;
  • Falta de memória;
  • Cansaço;
  • Aumento de desejo de consumo de alimentos e drogas que interferem no sistema nervoso central como bebidas alcoólicas, entorpecentes e alimentos açucarados.

Há possibilidade de outros sinais associados conforme você pode conferir no texto sobre sintomas da depressão. 

A junção destes fatores causam a depressão, a silenciosa doença que se tornou a principal causa de invalidez em todo o mundo, conforme posicionamento da Organização Mundial da Saúde. Os últimos relatórios estimam que mais de 300 milhões de pessoas têm o diagnóstico no Brasil.

Quem possui um ou  mais dos sinais acima deve consultar um médico geral e um médico psiquiatra para avaliar mediante exames as causas dos sintomas. Nem sempre ela é química, como a baixa quantidade de serotonina – pode também ser desencadeada por transtornos de comportamento, ansiedade, estresse excessivo e maus hábitos alimentares.

O exame de sangue para verificação da quantidade de serotonina no sangue consiste na retirada de dois tubos de 10 mg de coleta. Para fazê-lo é necessário ficar pelo menos quatro horas em jejum e, com um dia de antecedência, abster-se de qualquer entorpecentes, drogas e alimentos associados ao aumento deste hormônio (forma listados abaixo).

Alimentos que contém Serotonina

A nutricionista Sophia Andrade, em entrevista a Folha de Pernambuco, citou uma série de alimentos que são capazes de estimular a produção natural de serotonina no corpo e devem ser incluídas na dieta de pacientes com problemas emocionais ou doenças associadas à baixa da substância:

  • Alimentos integrais como cereais e pão integral;
  • Banana ;
  • Amêndoas;
  • Nozes;
  • Caju;
  • Semente de abóbora;
  • Gergelim;
  • Vegetais escuros como brócolis, espinafre e rúcula;
  • Vinho tinto;
  • Carnes magras como peixes;
  • Castanha do Pará;
  • Abacate;
  • Berinjela;
  • Abacaxi;
  • Tomate;
  • Queijos brancos;
  • Iogurtes desnatados;
  • Legumes ;
  • Picles;
  • Ameixa-vermelha;
  • Bebidas alcoólicas.

Também é recomendado pelos médicos a preferência por alimentos orgânicos, uma vez que pesquisas mostram que o uso de pesticidas está relacionado com o aumento de comportamentos depressivos e diminuição da produção de serotonina.

Tratamento da depressão

O tratamento da depressão é complexo e deve ser adaptado a cada paciente de forma individual, se valendo de suas especificidades.

Em alguns casos, como mostra o neurocientista Alex Korb em entrevista a BBC Brasil, pode ser recomendado o uso de drogas sintéticas, outros, respondem melhor com inclusão de práticas naturais eficientes e comprovadas pela neurociência como tomar sol, fazer massagens, ter um hobby, prática de atividades físicas aeróbicas e mudanças alimentares.

Remédios

O psiquiatra Simon Young, editor chefe da revista Psiquiatria e Neurociência publicou em 2007 um editorial que tratava sobre o aumento dos remédios antidepressivos no Brasil e no Mundo. Nas palavras dele ” nas últimas quatro décadas, a questão de como manipular o sistema serotoninérgico com drogas tem sido uma importante área da pesquisa em biologia psiquiátrica e esses estudos têm levados a avanços no tratamento da depressão”.

No entanto, na visão de outros pesquisadores, é necessário muita cautela na prescrição destas medicações porque nem sempre os riscos dos inibidores de serotonina compensam os benefícios. Segundo pesquisa da Sulamerica em seis anos houve um salto de 74% no consumo de antidepressivos no Brasil.

Os antidepressivos são frequentemente associados equivocadamente à reação adversa de perda de peso, de forma aumentar a compra sem prescrição médica recomendada. Por lei, estes medicamentos só podem ser comercializados mediante retenção de receita. Alguns dos nomes comerciais são:

Algumas bulas de remédios também tem como efeito colateral o desenvolvimento da depressão – veja na lista de remédios que causam depressão. 

No relatório que acompanha a pesquisa da seguradora, há alertas que mostram como a prescrição de determinadas drogas nem sempre funcionam, se não estiverem associadas a uma mudança de comportamento a ser acompanhada por um médico. Afinal, conforme indica o estudo, a felicidade é uma sensação complexa e que demanda muito esforço para além da medicação para que se torne uma realidade na vida dos pacientes.

Conheça mais sobre as funções da serotonina no texto sobre – serotonina para que serve. 

Recomendados para você:


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply