Risperidona – Bula: Para que serve? Posologia, Indicações, Preço e Efeitos Colaterais

Risperidona é um remédio que serve para tratar transtornos psicológicos, esquizofrênicos e de psicose, minimizando a ansiedade e as alucinações. A medicação é vendida somente sob prescrição médica e sob uso controlado, já que a lista de reações adversas que consta na bula é extensa e os efeitos no sistema nervoso central são intensos.

Abaixo você confere todas as informações da bula do risperidona de forma descomplicada.

Para que serve Risperidona? Indicações

O uso de risperidona é indicado para as seguintes situações:

  • Tratamento de irritabilidade;
  • Tratamento de esquizofrenia;
  • Tratamento do comportamento e de manias ;
  • Tratamento de transtorno bipolar;
  • Tratamento de síndrome neuroléptica;
  • Tratamento de transtorno autista em criança;
  • Tratamento de psicoses como esquizofrenia ;
  • Tratamento de alucinações, psicoses, confusão mental e distúrbios da percepção;
  • Diminuição da ansiedade;
  • Diminuição da tensão psicológica;
  • Minimização de surtos crônicos;
  • Controlar distúrbios do comportamento como agressão verbal e física;
  • Minimização da agitação causada pela demência;
  • Diminuição de irritabilidade causada por autismo;
  • Diminuição da desconfiança doentia.

De modo geral, o uso de risperidona serve para tratar sintomas característicos do comportamento e emoções, regularizando o humor e minimizando os surtos psicóticos ou alteração dos sentidos.

Na maior parte dos casos, a substância ativa é usada para tratar casos permanentes de doenças mentais como o autismo ou a esquizofrenia. Portanto, seu uso deve ser sob controle médico e deve ter dose recomendada por um médico.

risperidona

Como tomar – Posologia

De acordo com a bula do risperidona liberada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a indicação genérica é de risperidona 1mg duas vezes ao dia, de preferência com 12 horas de diferença entre a administração. O uso deve ser feito entre as refeições ou junto à elas, com ajuda de um copo de água.

A dose recomendada pode ser alterada pelo médico, de acordo com as necessidades do paciente. Respeite a prescrição médica para garantir resultados confiáveis no tratamento. A dosagem varia conforme o tipo de sintoma que se deseja tratar. Abaixo você confere as principais indicações para cada posologia do remédio.

Risperidona 1mg

Recomendada para transtornos menores como de ansiedade, bipolaridade, alterações de humor, depressão e confusão mental. Há duas recomendações para o uso de 1mg de risperidona: dose inicial de 1mg diária ou, em casos mais graves, de 1mg duas vezes ao dia (completando um tratamento de 2mg/dia).

Risperidona 2 mg

Mais indicada para o tratamento de esquizofrenia, transtornos autistas e surtos psicóticos. Geralmente, a dose inicial recomendada é de 2mg/dia. A partir do segundo dia de uso pode ser aumentada para 4 mg. Após, deve-se manter a dose até que haja nova recomendação médica, a ser avaliada pelos efeitos gerados no paciente.

Risperidona Gotas

Recomendada para facilitar a administração. Pode ser usada em caso de surtos psicóticos e é o formato de uso oral mais indicado para crianças. Para usar deve-se pressionar a tampa do frasco e aplicar a solução oral na seringa dosadora. A dosagem permanece a mesma (de 2mg/dia).

Uso pediátrico

Em crianças, o uso de risperidona tem a posologia alterada para 0,5 mg por dia, devendo ser administrado em dose única pela manhã ou à noite. Dependendo do caso, a dose recomendada poderá ser ajustada conforme a reação à medicação para 1 mg por dia. A medicação só pode ser utilizada por pacientes que tenham entre 13 a 17 anos de idade.

Uso durante a gravidez

Não é recomendado o uso de risperidona para mulheres grávidas ou que pretendem engravidar. As dosagens, quando necessárias (o que precisará ser avaliado medicamente) são menores (a partir de 0,5 mg).

A restrição é feita por conta dos efeitos de agitação, rigidez muscular, fraqueza, problemas respiratórios e alteração dos sentidos que pode causar no bebê, especialmente a partir do último trimestre da gravidez – quando o sistema nervoso está quase completo e o respiratório está sob formação.

O aleitamento materno não deve ser feito para mulheres que fazem uso do risperidona.

Superdosagem e dose máxima

A dose máxima é de 8 mg/dia, sendo que nas análises laboratoriais, não foi confirmado aumento da eficácia para doses acima de 6 mg.

A superdosagem, ou seja, quando se toma o medicamento além do recomendado, deve ser evitada sempre. Se ela ocorrer por acidente, procure o médico responsável imediatamente para ter a correta orientação sobre como proceder.

Caso não tenha rápido acesso a ele, dirija-se a um hospital, sempre na companhia de outra pessoa, e explique o caso para a equipe médica, para que eles consigam seguir o protocolo adequado.

Em casos de superdosagem é comum enfrentar sintomas como grande sonolência, tremor e contração / rigidez dos músculos excessiva, além de intensa diminuição da consciência.

Bula Risperidona

Antes de fazer o uso de risperidona é importante conferir os detalhes da posologia informados na bula. Consulte a bula oficial do comprimido da risperidona divulgada pela Anvisa ou então a versão do risperidona gotas divulgada pelo laboratório EMS/SA, que comercializa a droga.

Preço

O preço da risperidona varia conforme a dosagem da medicação e o laboratório que a comercializa. Nas principais redes farmacêuticas o valor varia entre R$ 50,00 (para comprimido de 1mg) a R$ 100,00 (comprimidos de 2mg e solução oral).

A medicação é vendida com retenção de receita, de forma que só possível comprar sob prescrição médica, já que é considerado um remédio de uso controlado. Dessa forma, é preciso ir regularmente ao médico para conseguir receitas e verificar se é preciso alterar ou suspender o tratamento. Cada receita possui validade de 30 a 90 dias.

A substância ativa risperidona pode ser encontrada sob diferentes nomes comerciais além da versão genérica. São eles:

  • Respidon (Torrent)
  • Viverdal (União Química)
  • Zargus (Biosintética)
  • Risperdal (Janssen)
  • Riss (Eurofarma)

Efeitos colaterais

De acordo com a bula, há possibilidade de manifestação de diferentes reações adversas por conta do uso oda risperidona. Portanto, antes de usar este medicamento é importante avaliar se os efeitos compensam os riscos da medicação.

Risperidona bula

Abaixo segue os efeitos colaterais do remédio:

  • Insônia;
  • Agitação e ansiedade;
  • Dor de cabeça;
  • Má digestão;
  • Nasofaringite;
  • Infecção do trato respiratório superior;
  • Sinusite;
  • Anemia;
  • Ansiedade;
  • Nervosismo;
  • Sonolência;
  • Cansaço;
  • Dificuldade de concentração;
  • Aumento da temperatura corporal;
  • Movimentos lentos ou comprometido;
  • Sensação de rigidez nos músculos;
  • Tremor;
  • Aumento da saliva;
  • Perda de expressão facial;
  • Tontura;
  • Sedação;
  • Movimento anormais dos olhos, boca ou língua;
  • Tontura postural;
  • Visão turva;
  • Dor de ouvido;
  • Taquicardia;
  • Acidente vascular cerebral;
  • Hipotensão (diminuição da pressão arterial;
  • Náusea;
  • Diarreia;
  • Prisão de ventre;
  • Desconforto abdominal;
  • Desconforto estomacal;
  • Erupção cutânea;
  • Pele seca;
  • Caspa e seborreia;
  • Dor nas costas;
  • Dor nas extremidades do corpo;
  • Incontinência urinária;
  • Diminuição do apetite;
  • Confusão mental;
  • Visão borrada;
  • Tosse;
  • Dificuldade para engolir;
  • Trombose venosa profunda;
  • Inchaço das articulações;
  • Agitação;
  • Dor musculoesquelética;
  • Síndrome das pernas inquietas;
  • Contração muscular involuntária;
  • Alterações na respiração, sudorese e febre alta;
  • Baixa da capacidade de vigilância.

Por conta das reações adversas no sistema nervoso central ao realizar o tratamento com risperidona não é permitido conduzir veículos ou operar máquinas, já que pode haver a alteração dos sentidos e ocasionar acidentes.

Risperidona Dá sono?

Sim. Uma das possíveis reações do remédio é a sonolência – o que pode ajudar no tratamento de transtornos autistas ou psicóticos. Para quem procura minimizar a sensação de cansaço é recomendado que o uso seja feito antes de dormir e de manhã junto com a refeição (no caso de duas administrações diárias).

Risperidona Engorda?

O uso de risperidona engorda, na maior parte dos pacientes. No entanto, não é garantido que o efeito colateral se manifeste, logo que  o ganho de peso consta entre uma das reações adversas moderadas da medicação. Recomenda-se combinar seu uso com uma alimentação regrada, preferencialmente com alimentos saudáveis e pouco calóricos, bem como com a prática de exercícios físicos.

Como a risperidona funciona?

O remédio atua especificamente no controle dos sintomas enfrentados por esquizofrênicos, pessoas bipolares e que têm distúrbios psicóticos, ajudando-lhes a ter uma vida regular.

A Risperidona também regula e equilibra as emoções despertadas por essas doenças, como ansiedade, alucinações, confusão, tensão e distúrbios de percepção (quando a pessoa escuta vozes que na realidade não existem).

Em alguns casos, o medicamento é utilizado durante a vida toda, já que além de ajudar a controlar crises ele também é usado para evitar recaídas, possibilitando ter melhor qualidade de vida.

esquizofrenia remédio

 Contraindicações

  • Casos de alergia / hipersensibilidade à Risperidonaou quaisquer outros ingredientes utilizados na fórmula do medicamento;
  • Crianças e adolescentes com menos de 13 anos de idade. Nestes casos, outros medicamentos ou tratamentos costumam ser indicados;
  • Mulheres em fase de lactação / amamentação, devendo comunicar ao médico responsável e suspender temporariamente o uso do remédio.
  • Pacientes que possuem parkinson ou transtornos motores;
  • Pessoas que possuem insuficiência renal ou hepática;

Idosos podem tomar?

Somente se indicado pelo médico. Comumente, o remédio não é receitado para idosos com mais de 65 anos. Quando é recomendado, o profissional costuma aconselhar o uso de doses menores, que são mais adequadas ao organismo desses pacientes.

Interação medicamentosa

A Risperidona pode gerar interação medicamentosa com outros remédios, o que acaba por influenciar em seu desempenho ou então gerar efeitos colaterais mais intensos.

Por isso, o indicado é sempre comunicar ao médico os tratamentos paralelos que realiza atualmente, citando os medicamentos tomados, para evitar a produção de interações medicamentosas.

Normalmente, a Risperidona costuma interagir com medicamentos utilizados em tratamentos de problemas cardiovasculares, bem como de insuficiência hepática e renal, inclusive de epilepsia e doença de Parkinson.

Como armazenar

Trata-se de um medicamento que deve ser guardado longe da umidade, em local fechado e em temperatura ambiente. O produto costuma ter validade de dois anos, contados a partir da data de fabricação indicada na embalagem, e não deve ser usado após esse período, pois não fará efeito algum.

Recomendados para você:


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (12 votes, average: 4,08 out of 5)
Loading...

Leave a Reply