Laqueadura – Saiba como é feita a esterilização feminina. É definitivo?

Laqueadura é um procedimento de esterilização definitiva. É realizada por meio de cirurgia por um médico especialista, ou seja, o ginecologista. Aproximadamente 100% das mulheres que adotam a laqueadura não conseguem engravidar mais.

A cirurgia de laqueadura é um contraceptivo, porém que não protege de doenças sexualmente transmissíveis. Diferente de outro método de anticoncepcional, como a pilula anticoncepcional, a laqueadura só precisa ser feita uma vez. É preciso ter certeza ao tomar essa decisão, pois a cirurgia de reversão é muito complicada e pode ser que a mulher não consiga voltar atrás depois.

O procedimento é rápido e seguro. Normalmente é feita a laqueadura tubário, que rompe a ligadura das trompas. Veja abaixo todas as informações sobre esse método contraceptivo. Veja os benefícios, como funciona a laqueadura em quesito a eficácia e aprenda sobre a cirurgia de reversão de laqueadura. É importante se informar bem antes de tomar a decisão. É uma cirurgia que deve ser pensada como permanente e além disso, toda cirurgia pode ter suas complicações.

Como Funciona a Laqueadura

O sistema reprodutor feminino é composto de diferentes partes, entre elas duas trompas de Falópio, também chamadas de tubas uterinas, que conectam o útero aos ovários.

Todo óvulo liberado mensalmente durante o ciclo menstrual fica armazenado nessas tubas, esperando um espermatozoide para ser fecundado e então iniciar o período de gestação. Depois de fecundado ele vai até o útero para se desenvolver, ou por algum erro acaba acontecendo uma gravidez ectópica, que normalmente é descoberta até os três meses e precisa ser interrompida.

A laqueadura atua justamente nas tubas uterinas, evitando que os espermatozoides entrem em contato com o óvulo. Isso é feito através de uma cirurgia em que as trompas são cortadas e têm suas extremidades amarradas ou fechadas. Assim, mesmo como o ato sexual sem o uso de outro métodos contraceptivos, os espermatozoides não conseguem encontrar os ovários. Mas em relação à Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), os cuidados devem ser os mesmos de sempre, pois é possível se infectar, sempre que há o contato com sem camisinha algum portador da doença.

laqueadura

Tipos de Laqueadura

Há três tipos de laqueadura disponíveis atualmente:

  • Por laparoscopia: é a menos invasiva e, por isso, mais indicada por ginecologistas. Neste tipo, são feitas incisões na parte abdominal e uma minicâmera é inserida nessas cavidades, para que o médico consiga ver, cortar e fechar as tubas uterinas;
  • Minilaparotomia: opção feita por meio de uma incisão no abdômen, para remoção de parte das tubas uterinas. Esta modalidade só é realizada depois do parto. Isso porque após o parto o útero está maior, o que acaba por facilitar a cirurgia;
  • Histeroscópica: tipo realizado utilizando um aparelho endoscópico, que é inserido na vagina e chega às tubas, local em que é implantada uma mola chamada Essure. A presença desse objeto provoca uma inflamação e o surgimento de um tecido de cicatrização, que fecha definitivamente as tubas.

A cirurgia não é complicada e pode facilitar o bem-estar e planejamento familiar para que já tem filhos e não pretende ter mais nenhum. Normalmente dura poucos minutos e é feita sem o uso de anestesia geral

Efeitos colaterais da laqueadura

O período de recuperação após a realização da laqueadura é bastante tranquilo e não costuma provocar efeitos colaterais. Apenas 0,1% das pacientes que fazem o procedimento enfrentam reações adversas, que podem incluir:

  • Infecção;
  • Infecção urinária;
  • Hemorragia interna;
  • Lesão da parede do útero, da bexiga ou do intestino;
  • Reação causada pela anestesia;
  • Depressão por arrependimento.

Depois de realizada a cirurgia, o recomendado é ficar sempre atenta aos sintomas vivenciados. Caso algo não se encaixe no que foi indicado como normal pelo médico, o correto é procurar o especialista para saber como lidar com o efeito colateral. Jamais se automedique.

Laqueadura é reversível?

laqueadura esterilização

Embora altere a estrutura do sistema reprodutivo feminino, especialmente as tubas uterinas, existe a possibilidade de reverter a laqueadura. Mas este procedimento apresenta muitos riscos à saúde da paciente e por isso não costuma ser realizado pela maioria dos ginecologistas. A laqueadura em geral, deve ser encarada como uma cirurgia definitiva. Caso ache que vá se arrepender, a mulher não deve fazê-la.

Um detalhe importante é que só existe a possibilidade de reversão se a laqueadura foi feita com anéis ou clipes. Também é essencial que a parte final das tubas uterinas esteja preservada. Existem desvantagens se a cirurgia já foi realizada há muito tempo, diminuindo as chances de sucesso da reversão.

Mesmo que seja possível realizar a reversão, vale salientar que as chances de engravidar depois desse período são reduzidas em até 20%. Portanto, pode ser mais difícil ficar grávida. Por isso os profissionais da saúde sempre ressaltam a importância em relação à tomada dessa decisão. Uma laqueadura pode trazer futuros arrependimentos para algumas mulheres, mas pode ser a melhor tomada de decisão para outra. Cabe a ela decidir o que fazer.

Quanto custa a laqueadura

O preço da laqueadura varia de acordo com o tipo realizado e gastos médicos. Em média, o custo em uma clínica particular é de R$2.000,00 a R$3.000,00, realizando os métodos por laparoscopia ou Minilaparotomia. Já o preço da versão Histeroscópica é maior, a partir de R$5 mil. É uma cirurgia que varia de acordo como o médico e método. Em casos específicos, o valor é coberto pelo SUS.

Laqueadura pelo SUS

O SUS (Sistema Único de Saúde) oferece a laqueadura de forma gratuita para as mulheres, mas é preciso preencher alguns requisitos para conseguir realizar o procedimento. A cirurgia ajuda no controle de natalidade, principalmente de famílias mais simples, que não possuem condições de pagar a cirurgia. A demora do atendimento é maior e o procedimento bastante burocrático, mas pelo menos é algo definitivo, onde não é preciso mais se preocupar com o planejamento familiar.

De acordo com a legislação, a cirurgia pode ser feita na rede pública de saúde por mulheres com mais de 25 anos e que tenham dois ou mais filhos vivos. É preciso se dirigir à Unidade Básica de Saúde para receber orientações sobre o processo.

A mulher sempre é encaminhada a reuniões de planejamento familiar, recebe orientação sobre métodos contraceptivos e é entrevistada por psicóloga, assistente social e médico. O rompimento das trompas é feito após todo esse procedimento, com a certeza de que a paciente não vá querer voltar atrás.

Se aprovada, a paciente ainda passa por um “tempo de reflexão”, que corresponde a dois meses, em que decide se deseja mesmo realizar a laqueadura. Caso queira desistir, é seu direito assegurado. Somente depois desse período é feita a cirurgia.

laqueadura como é feita

Vantagens e desvantagens

Na dúvida se vale a pena fazer a laqueadura? A mulher é quem deve decidir se quer ou não a cirurgia. Recomenda-se uma conversa com a família para ver se esta é a melhor decisão. Em mulheres com dúvidas, é melhor esperar até se ter certeza. É possível decidir melhor conhecendo os prós e contras do procedimento:

Vantagens

  • Reduz em quase 100% a chance de engravidar (há raros casos de mulheres que engravidaram, porém de forma ectópica, isto é, fora do útero);
  • Não reduz a libido feminina e não altera o funcionamento hormonal;
  • Efeitos colaterais e complicações pós-operatório são escassas;
  • Diminui a chance de desenvolver câncer de ovário ou infecções pélvicas.

Desvantagens

  • Não evita DSTs;
  • Possui taxa de arrependimento elevada;
  • Difícil reversão. A mulher pode voltar a engravidar mas o procedimento é complicado;
  • Por ser um procedimento invasivo, apresenta riscos como qualquer outra cirurgia.

Recomendados para você:


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Leave a Reply