Hipertireoidismo: O que é? Sintomas? Como Sei se Tenho?

Há duas doenças relacionadas à tireoide que acometem uma grande parte da população brasileira, o hipertireoidismo e hipotireoidismo. Infelizmente, há um tipo que se desenvolve com mais frequência entre as pessoas e que se caracterizar com a produção excessiva dos hormônios pela glândula tireoide.

Esse tipo que aumenta os hormônios é chamado de hipertireoidismo e pode-se dizer que seria o mais perigoso por impactar diretamente em inúmeras funções do organismo. Os médicos costumam dizer que nesse caso, a glândula tireoide é hiperativa e por conta disso é comum que ela trabalhe em excesso, porém esse trabalho, além da conta, precisa ser controlado para que evite os riscos na saúde.

A elevação do trabalho da tireoide pode ocorrer por inúmeros motivos. Quer saber mais detalhes da doença? Confira o texto.

Problemas de Tireoide

Problemas na tireoide estão se tornando mais comuns no Brasil, prova disso são os dados do ano de 2010 do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística que compartilham a informação de que 15% da população brasileira sofre com problemas relacionados à tireoide e em que o hipertireoidismo se destaca.

Essa doença se caracteriza como um problema que pode impactar diretamente no funcionamento de algumas funções do organismo e tudo isso por conta dos processos de funcionamento além do normal da tireoide. A partir disso, existe a possibilidade do problema provocar uma série de complicações na saúde, como a frequência cardíaca acelerada, a insuficiência cardíaca congestiva e os outros.

Existem diferentes causas para o hipertireoidismo, mas sem dúvidas, de acordo com especialistas, a causa principal é a doença de graves, que seria uma doença ou condição autoimune que promove o funcionamento excessivo da tireoide. É claro que essa não é a única razão, mas com certeza está entre as mais comuns.

Outras causas seriam a ingestão excessiva de iodo, a inflamação da tireoide, os tumores não-cancerígenos da tireoide ou da glândula pituitária, tumores diante dos testículos ou ovários, e também, a superdosagem de hormônio da tireoide.

Os principais sintomas do Hipertireoidismo

Assim como qualquer outro problema ou doença, o hipertireoidismo também é capaz de desenvolver uma série de sintomas que podem não apenas “avisar” às pessoas sobre as anomalias no organismo, como também complicar ainda mais o dia a dia de pacientes diagnosticados com o problema, sendo preciso tratá-la.

Esses sintomas, infelizmente, costumam ser semelhantes aos de outras doenças, e a partir disso algumas pessoas os deixam de lado por acreditarem que se referem a um problema comum, que não merece alarde e preocupação, o que na verdade não ocorre, ou seja, é imprescindível que se atente a todo e qualquer sintoma, evitando qualquer risco para a saúde.

Veja abaixo os sintomas mais comuns que se relacionam ao hipertireoidismo:

  • Perda de peso repentina (mesmo com a alimentação correta);
  • Aumento do apetite;
  • Inquietação, ansiedade, nervosismo e irritabilidade;
  • Dificuldade para dormir;
  • Taquicardia com mais de 100 batimentos por minuto;
  • Intolerância ao calor;
  • Mudanças no funcionamento do intestino;
  • Fadiga e fraqueza muscular;
  • Tremor nas mãos e nos dedos;
  • Sudorese ou suor excessivo;
  • Glândula tireoide visivelmente aumentada;
  • Diarreia;
  • Pressão alta;
  • Pulso rápido e irregular.

Os principais tratamentos e prevenção da Hipertireoidismo

Infelizmente os médicos afirmam que não existem evidências científicas para as prevenções do hipertireoidismo, por isso pode ser necessário que se atente ao seu corpo com intuito de melhor identificar sintomas e buscar um médico para o seu diagnóstico, e então, iniciar o tratamento que venha a ser adequado.

O tratamento do hipertireoidismo pode ser feito principalmente com o uso dos medicamentos que diminuem o funcionamento da glândula tireoide, evitando o trabalho excessivo dela, que no caso são chamados como antitireoidianos – que deve ser ingerido com observação de médicos para evitar efeito colateral.

Além disso, existem métodos de tratamento que envolvem desde a ingestão de iodo radioativo, até mesmo cirurgias que possuem como objetivo a remoção da glândula tireoide – mas sendo uma opção apenas para casos que são extremos, em que outros tratamentos não seriam suficientes e por isso foi necessário uma medida, no mínima, drástica e que precisa de muito cuidado no pós operatório.

Caso você note algum sintoma citado acima, consulte o seu médico.

Recomendados para você:


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Leave a Reply