Conjuntivite – Causas, sintomas e tratamento

Uma doença comum, mas que pode incomodar bastante é a conjuntivite, inflamação na região da conjuntiva, membrana fina que fica na parte da frente do nosso globo ocular, assim como o interior das pálpebras. Ela pode afetar somente um olho ou os dois ao mesmo tempo por cerca de 15 dias em média.

Pode ser considerada aguda ou crônica, porém não tende a deixar sequelas no paciente infectado. Tem como principal causa reações alérgicas de diferentes origens e também a mudança brusca de clima, além de vírus e bactérias que podem se alojar nessa parte do corpo. Vale lembrar que apesar de ser uma doença “simples” é bem contagiosa quando em forma viral ou bacteriana, sendo transmitida apenas com o contato das mãos, secreção e objetos contaminados.

A Conjuntivite

O que acontece é que os vasos de sangue dos olhos, aqueles que conseguimos ver a olho nu na parte branca ocular, ficam mais dilatados, dando assim aos olhos a coloração vermelha comum da infecção.

A coceira é presente constantemente na conjuntivite, preste atenção nesse detalhe.

Os principais causadores da conjuntivite são reações alérgicas, elas podem ter várias origens, como:

  • A poluição diária;
  • Fumaça;
  • O cloro de piscinas;
  • Alguns produtos de limpeza;
  • A primavera – causada principalmente pelo pólen das flores;
  • Maquiagens mal aplicadas ou de qualidade inferior.

Em sua maneira viral, ela é altamente contagiosa e torna-se comum durante o verão, é a forma mais natural da doença, é causada pelo vírus Adenovírus. Já a forma bacteriana, que é a mais incomum de ser encontrada, é causada pelas bactérias do Pseudomonas aeruginosa, Staphylococcus aureus, Haemophilus influenzae, Treptococcus pneumoniae e Moraxella catarrhalis.

conjuntivite-sintomas

Sintomas da Doença

Os sintomas da doença são facilmente identificados, o que muda é apenas algumas variações da forma alérgica, viral e bacteriana; veja quais são os sintomas em comum entre as três:

  • As pálpebras ficam inchadas;
  • Olhos vermelhos e lacrimejando constantemente;
  • A sensação de que os olhos estão sujos, como se houvesse areia ou algum cisco no interior;
  • Coceira e ardor;
  • Dor extrema ao olhar para a luz;
  • Olhos borrados;
  • As pálpebras geralmente estão grudadas ao acordar.

A conjuntivite viral e bacteriana têm algumas características específicas, que são:

  • Secreção branca escorrendo dos olhos;
  • Febre;
  • Dor de garganta;
  • Sinais de infecção respiratória;
  • Olhos grudados por pus seco.

A doença pode acontecer afetando os dois olhos ao mesmo tempo, mas também pode contaminar somente um, o que após alguns dias acaba contaminando o outro.

O diagnóstico da doença é feito por exame do oftalmologista ou por meio da coleta da secreção e exames mais aprofundados. Não é demorado e o paciente costuma sair com todas as receitas e medicamentos indicados.

Fatores de Risco

Existem algumas pessoas que ficam mais suscetíveis a desenvolver a conjuntivite, veja abaixo quais são esses pré-requisitos:

  • Pessoas alérgicas;
  • Pessoas com baixa imunidade;
  • Indivíduos que tenham a mania de coçar os olhos com as mãos sujas;
  • Doenças como herpes e autoimunes deixam o organismo mais propenso ao desenvolvimento da infecção ocular.

conjuntivite-tratamento

O Tratamento

O tratamento da doença vai variar de acordo com qual tipo ela é: alérgica, viral ou bacteriana. As duas primeiras geralmente são combatidas com colírios e higienização correta do local.

No caso da bacteriana é preciso fazer o tratamento com antibióticos e colírios específicos, esses medicamentos só podem ser comprados com a receita médica, procure não se auto medicar, algumas dessas soluções têm uma fórmula forte que pode prejudicar mais do que ajudar em caso de alta dosagem ou aplicação errada.

O paciente também pode fazer uso de compressas de água gelada, lavar os olhos sempre que possível com água limpa ou soro fisiológico.

Prevenção

Existem alguns hábitos diários que podem ser aplicados para que a doença seja prevenida, como por exemplo:

  • Lavar as mãos e o rosto constantemente, são as partes do corpo que têm maior contato com vírus e bactérias;
  • Evitar coçar os olhos;
  • Trocar frequentemente as fronhas de travesseiro;
  • Não compartilhar maquiagens e esponjas;
  • Evitar locais com muitas pessoas como academias, clubes ou festas;
  • Evitar usar lentes de contato;
  • Use a proteção ocular correta, caso trabalhe com produtos químicos;
  • Não compartilhe toalhas de rosto ou de corpo;

Recomendados para você:


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votes, average: 3,33 out of 5)
Loading...