Especialidade Médica: Alergia e Imunologia – Saiba tudo aqui

No Brasil 20% da população sofrem com doenças alérgicas, sendo que no país aproximadamente duas mil pessoas morrem anualmente por asma. Já nos Estados Unidos, anualmente pessoas falecem por alergia a alimentos ou picadas de insetos, e cerca de 4000 morrem em função da asma. Muitas dessas mortes poderiam ser evitadas se as pessoas tivessem o conhecimento da necessidade de fazer acompanhamento médico durante toda a vida.

Você provavelmente conhece alguém que sofre com alergia, mas nem todas as pessoas procuram um especialista para cuidar dos sintomas e evitar crises. Isso acontece porque é uma especialidade pouco conhecida e no SUS existem poucos profissionais, principalmente em cidades menores.

Para lidar com as doenças crônicas é necessário fazer o acompanhamento com um alergista-imunologista. Esse profissional é capacitado para lidar especificamente de doenças alérgicas e para manejar a doença com o objetivo de prevenir a morbidade e a mortalidade.

Alergias

Doenças alérgicas comuns:

  • Imunodeficiência;
  • Anafilaxia;
  • Doenças ocupacionais alérgicas;
  • Asma;
  • Pneumonia de hipersensibilidade;
  • Rinite;
  • Sinusite;
  • Aspergilose broncopulmonar;
  • Conjuntivite;
  • Hipersensibilidade à picadas de insetos;
  • Tosse;
  • Dermatite de contato;
  • Dermatite atópica;
  • Alergia alimentar;
  • Alergia a medicamentos;
  • Angioedema;
  • Urticária.

Procedimentos

Para tratar pacientes com as doenças listadas, o médico especialista alergista-imunologista recebe treinamento para realizar e interpretar exames e testes que ajudam a fechar o diagnóstico, e a definir o tratamento mais eficaz. Os procedimentos mais comuns são:

  • Teste de provocação com drogas e alimentos;
  • Testes para alergia;
  • Testes de broncoprovocação;
  • Avaliação de testes de alergia considerando o histórico clínico;
  • Imunoterapia com alérgenos;
  • Informações para controle ambiental;
  • Imunoterapia utilizando venenos de insetos;
  • Manejo de condições crônicas, como asma, conjuntivite, rinossinutite, eczema, urticária, tosse, anafilaxia, até em casos que a alergia não é identificada especificamente;
  • Dessensibilização com drogas;
  • Avaliação do quadro imunológico;
  • Terapia com o uso de imunomoduladores.

Embora seja uma especialidade médica pouco conhecida, os profissionais estudam muito para se capacitarem, o programa de residência tem duração de dois anos e é necessário ter residência prévia em Pediatria ou Clínica Médica.

Em geral, quando uma alergia aparece é comum que as pessoas procurem um dermatologista, se for na pele, um pneumologista caso os sintomas sejam respiratórios.  De acordo com especialistas da área, isso não deveria acontecer, pois esses médicos não são habilitados para cuidar especificamente de doenças alérgicas. Esses profissionais podem auxiliar no diagnóstico e até ajudar a encontrar uma solução, mas o recomendado é procurar um alergista-imunologista quando existe a suspeita de uma alergia.

Quem pode ter doenças alérgicas?

É comum que as doenças alérgicas tenham origem genética, por isso é recomendado fazer o acompanhamento, para evitar crises na criança quando os pais têm histórico de problemas alérgicos. A prevenção pode ser feita através da imunoterapia, usando vacinas e medicamentos para melhorar o sistema imunológico.

Apesar de ter origem genética e a maioria das pessoas apresentar os primeiros sintomas de doença alérgica na infância, é possível desenvolver alergias também na vida adulta. Assim, o alergologista irá atuar tratando as crises e no método de prevenção para impedir que o processo inflamatório piore.

O que é alergologia pediátrica?

Como as doenças alérgicas aparecem geralmente na primeira infância a maioria dos alergologistas também são pediatras, ou seja, são especializados em tratar de doenças alérgicas em crianças. Se o pediatra não tem essa especialidade e o paciente apresenta sintomas de doenças alérgicas ele deve encaminhar para o médico alergologista.

Quando procurar um alergologista?

O indicado é que os pais procurem esse especialista quando a criança ainda é bebê, mesmo sem apresentar sintomas, assim os testes podem ser realizados e servirão como uma prevenção futura. Se isso não for possível, o indicado é se consultar com o alergologista quando os sintomas aparecerem.

No SUS, para a maioria das cidades é necessário consultar com um clínico geral para que ele encaminhe para o alergologista, dificilmente a pessoa conseguirá agendar a consulta com o especialista sem esse encaminhamento prévio.

Doenças alérgicas têm cura?

Nem todas as doenças têm cura, mas todas têm tratamentos que podem evitar as crises ou amenizar os sintomas. O acompanhamento médico é necessário para criar um plano de prevenção eficaz, principalmente em pacientes que sofrem com doenças alérgicas respiratórias, como é o caso da asma.

Recomendados para você:


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votes, average: 3,00 out of 5)
Loading...

Leave a Reply