Síndrome de Asperger: o que é? Sintomas, diagnóstico e mais

A síndrome de Asperger é considerada como um Transtorno Global de Desenvolvimento na classificação de doenças, apresentando diversas semelhanças com o autismo, sendo causada por uma desordem genética.

Contudo, diferente do que ocorre com o autismo, uma criança com síndrome de Asperger não apresenta maiores atrasos no desenvolvimento cognitivo, não tendo maiores comprometimentos para sua vida futura.

Uma criança com síndrome de Asperger pode, por exemplo, escolher um assunto de seu interesse e falar repetidamente sobre ele, até esgotar todas as possibilidades. Além disso, pode apresentar algumas habilidades incomuns, como memorizar mapas e textos, ou sequências matemáticas, entre outras.

Durante a infância, a criança com síndrome de Asperger apresenta déficit de desenvolvimento motor, chegando mesmo a ter dificuldades em manipular brinquedos, lápis e pequenos objetos.

Ao mesmo tempo, sua estrutura de pensamento é feita de forma bastante concreta, não conseguindo interpretar ironias ou metáforas, situação que pode interferir nos processos de comunicação.

A criança com síndrome de Asperger não consegue aplicar movimentos corporais e gestos de comunicação não-verbal, apegando-se a rituais próprios, apresentando dificuldades em fazer determinadas tarefas que fogem de sua rotina.

Como cuidar da síndrome de Asperger na escola

Síndrome de Asperger é bem mais comum do que se imagina

Na fase escolar, é preciso cuidar de uma criança com síndrome de Asperger da mesma forma como uma criança autista, respeitando seu tempo de assimilação e estimulando a comunicação com os coleguinhas de classe.

É necessário conversar com a criança de uma forma clara e objetiva, apresentando as atividades visualmente, evitando possíveis falhas na interpretação.

Além disso, é importante que o professor explore os temas de interesse da criança com síndrome de Asperger, abordando outros assuntos ligados às necessidades de aprendizagem.

Assim, por exemplo, se o aluno com síndrome de Asperger se interessa por animais, o tema deve ser utilizado para lições básicas de biologia, ou, se tiver uma coleção de bonecos ou de carrinhos, utilizar esse interesse para ensinar matemática.

A incidência da síndrome de Asperger

A síndrome de Asperger, como também o autismo, é um problema bastante comum. Segundo estimativas dos Centros de Controle e de Prevenção de Doenças do governo norte-americano, pelo menos 1% da população mundial apresenta algum tipo de TGD.

No Brasil, segundo informações do Ministério da Saúde, existem pelo menos 2 milhões de autistas e de portadores da síndrome de Asperger apenas no Estado de São Paulo. A doença, de acordo com os levantamentos, costuma afetar mais o sexo masculino do que o feminino.

Quais são os sintomas para diagnosticar a síndrome de Asperger?

Algumas pessoas já adultas com síndrome de Asperger relatam que sentem o mundo como se os estivesse esmagando, o que provoca sintomas de ansiedade.

De uma forma geral, no entanto, conseguem se relacionar com os outros, participando do contexto familiar, escolar, profissional e social, embora isso seja particularmente difícil.

Algumas pessoas com síndrome de Asperger parecem saber, de forma intuitiva, como se comunicar e interagir, mas podem também encontrar problemas ao encontrar outras pessoas com problema semelhante.

Um dos maiores problemas é que a síndrome de Asperger possibilita que a pessoa se sinta diferente, notando que outras pessoas não as entendem.

A síndrome de Asperger cria condições em que a pessoa afetada não consegue ser bem interpretada pelas pessoas comuns.

O diagnóstico da síndrome de Asperger deve ser feito por uma equipe multidisciplinar, com a participação de um psiquiatra ou psicólogo, de um terapeuta de fala e linguagem e de um pediatra.

Como a doença afeta pessoas de formas diferentes, o diagnóstico pode ser um tanto difícil de ser feito, muitas vezes ocorrendo tardiamente, já que algumas dificuldades não podem ser reconhecidas até que a criança chegue à idade adulta.

Embora não possa ser facilmente diagnosticada, a síndrome de Asperger deve ser analisada e cuidada, uma vez que essa condição permite ajudar a pessoa e entender porque ela enfrenta determinadas dificuldades e o que pode ser feito para facilitar sua vida.

Causas da síndrome de Asperger

As causas da síndrome de Asperger, da mesma forma que ocorre com o autismo, ainda estão sendo investigadas. No entanto, o que se sabe é que há uma combinação de diversos fatores, tanto genéticos quanto ambientais, que podem explicar esse tipo de transtorno.

A síndrome de Asperger não é provocada pela educação, pelas circunstâncias e condições sociais e não se trata de uma responsabilidade única do indivíduo que a apresenta.

Embora não seja um transtorno que possa ser curado definitivamente, a síndrome de Asperger permite a aplicação de uma série de estratégias e de abordagens para que a pessoa portadora tenha melhores condições de sobrevivência.


O Conteúdo Foi Útil? Deixe seu Voto!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votes, average: 2,33 out of 5)
Loading...

Leave a Reply