Leucemia: Principais Sintomas, Possíveis Causas e Tratamento

A leucemia é um tipo de câncer do sangue que ataca os glóbulos brancos (leucócitos) responsáveis pela defesa do organismo. Essa doença se desenvolve quando as células jovens (blásticas) se acumulam e  são substituídas por células sanguíneas normais.  Acredita-se também que  o problema possa ser ocasionado no momento de produção das células sanguíneas  na medula óssea. No entanto, até hoje a medicina ainda não descobriu as causas da leucemia, somente hipóteses não comprovadas.

A principal consequência da leucemia é a anemia – doença na qual as células transportadoras de oxigênio para todas as células do organismo (hemácias) são pouco produzidas e mantém o organismo enfraquecido e cansado. Quando chega a estágios mais graves também deixa o organismos vulnerável a infecções de agentes estranhos. Aqui você confere tudo o que é preciso saber para identificar os sintomas, como dar incio ao tratamento e curiosidades sobre a doença.

Principais sintomas da Leucemia

O progresso da leucemia pode ser lento ou brusco, tudo vai depender de acordo com cada pessoa e a gravidade da doença, em geral os principais sintomas são:

  • Fraqueza e cansaço excessivos;
  • Febre e calafrios;
  • Doenças e infecções frequentes e de cunho grave;
  • Perda excessiva de peso;
  • Sangramento fácil ou aparecimento de hematomas;
  • Hemorragias frequentes, principalmente na região nasal;
  • Tendência ao sangramento;
  • Aumento do baço ou do fígado;
  • Dor excessiva nos ossos e articulações;
  • Sudorese principalmente na parte da noite;
  • Fadiga;
  • Palpitação;
  • Dor nos ossos;
  • Dor de cabeça;
  • Visão dupla;
  • Desorientação devido ao impacto no Sistema Nervoso Central.

Veja abaixo quais os sintomas da leucemia listados por ordem de categoria:

Caso a doença tenha origem cerebral, é comum que dores de cabeça, convulsões, vômito e falta de coordenação muscular aconteçam. O diagnóstico efetivo da doença se dá por análises sanguíneas e biópsias da medula óssea. Após a confirmação da doença, o tratamento é iniciado o mais rápido possível.

Quais são as possíveis causas da doença?

A medicina ainda não tem provas da causa da Leucemia, o que se sabe é somente quais fatores incentivam o surgimento da doença. São eles:

  • Contato intenso com produtos químicos
  • Contato com radiação ionizante
  • Tabagismo
  • Hereditariedade
  • Histórico de quimioterapias
  • Síndrome de Down

O fator de risco mais intenso entre todos os listados é a carga hereditária. Em estudos realizados pessoas que tiveram parentes próximos diagnosticados com leucemia tem até 3X mais chances de ter a doença ou de desenvolver células leucêmicas. O tratamento específico e preventivo deve ser feito ao longo de toda a vida para evitar a manifestação da Leucemia.

sintomas-da-leucemia

Como acertar no diagnóstico?

A primeira desconfiança da manifestação da Leucemia acontece por meio do exame de sangue, nele números alterados de quantidade de células serão uma suspeita. Depois com mais exames clínicos é possível perceber se há proliferação excessiva de células imaturas na medula óssea. Estas, quando infiltram no organismo causam os primeiros sintomas da leucemia, inclusive infecções agudas devido a ineficiência do sistema de defesa do organismo.

Tipos de Leucemia

  • Leucemia linfoblástica aguda
  • Leucemia mieloide aguda
  • Leucemia linfócita crônica
  • Leucemia mieloide crônica

 

como-diagnosticar-leucemia

A divisão entre crônica e aguda é diferenciada da seguinte maneira:

  • Aguda: crescimento rápido das células não desenvolvidas do sangue, tratamento é imediato devido ao rápido desenvolvimento das células malignas;
  • Crônica: produção progressiva e em um ritmo determinado das células maduras e anormais. A progressão leva desde meses até mesmo anos.

A classificação também se dá entre linfoides/linfoblásticas ou mieloides, que são:

  • Linfoides/Linfoblásticas: a mutação ocorre nos linfoblastos ou linfócitis, que atuam diretamente na defesa do organismo.
  • Mieloides: mutação ocorre na medula óssea, produtora dos elementos sanguíneos.

Tratamento da Doença

O tratamento da leucemia geralmente é constituído de uma combinação de radioterapia, quimioterapia, terapia dirigida e o famoso transplante de medula óssea, com o principal objetivo de destruir as células malignas que estão desregulando os níveis sanguíneos do corpo, voltando assim a produção normal das células do corpo humano.

hemorragia-nasal-é-um-sintoma-de-leucemia

O tratamento tende a não ser muito demorado, levando cerca de duas sessões em média para que as células malignas sejam destruídas, porém, esse tempo pode ser relativo de acordo com o tipo de leucemia e gravidade. A maior dificuldade do transplante da medula óssea é encontrar um doador que tenha condições sanguíneas semelhantes ao do paciente que receberá o transplante.

É possível que o tratamento ocorra em mais sessões quando é o caso de radioterapia ou quimioterapia, tudo vai depender do grau de periculosidade na volta da doença.

Para quem já foi ou é leucêmico os exames de sangue, avaliação do sistema nervoso central e medula óssea passarão a ser comuns e deverão ser feitos por toda a vida para avaliar as condições do organismo e dar continuidade ao tratamento preventivo, caso necessário.

quimioterapia-é-o-tratamento-para-leucemia

A melhoria efetiva da doença é relativa de acordo com a idade da pessoa, tempo da doença alojada no corpo e também do tipo de leucemia diagnosticado. Em crianças a taxa de melhora é muto maior, por exemplo, acredita-se que isso acontece porque a medula óssea de uma criança produz mais células sanguíneas do que a de um adulto e por isso responde melhor ao tratamento de combate ás células imaturas.

  • Nos EUA a taxa de sobrevivência a cinco anos é a média de 57%;
  • Crianças com menos de 15 anos a taxa é mais de 60-85%, variando do tipo da leucemia;
  • Pessoas que tenham leucemia aguda no prazo de cinco anos, é bem provável que a doença não retorne.

Em crianças, a leucemia mais comum é leucemia linfoblástica aguda, já em adultos, a mais comum é a leucemia mieloide aguda e a linfocítica crônica.

Cerca de 50% das pessoas que são diagnosticadas com leucemia, não necessitam de tratamento imediato ou não precisaram em nenhum momento, pois a doença é classificada como benigna. Porém é necessário um acompanhamento médico durante um tempo.

Entenda melhor sobre a leucemia assistindo o vídeo abaixo:

Medicamentos Utilizados

Os medicamentos mais utilizados para o tratamento da leucemia são aqueles que ajudam a combater organismos estranhos afim de diminuir a vulnerabilidade ou então os que melhorar a produção de células normais dentro da medula óssea, ou seja, aqueles que agem diretamente no sistema nervoso central. Em crianças, a dosagem costuma ser bem diferente, respeitando as especificidades de cada um.

Nunca se automedique para a Leucemia, se você acredita que tem a maioria dos sintomas da leucemia converse com o seu médico, faça exames e só então poderá iniciar o tratamento mais adequado. Este pode variar de coquetel de medicamentos e quimioterapias que ajudem a matar as células imaturas, evitando que se espalhem até um transplante de medula óssea.

remédios para sintomas da leucemiaOs medicamentos mais receitados para pacientes leucêmicos são:

E vários outros na classe de antibióticos, antinflamatórios e estimulantes do sistema nervoso central.

 



O Conteúdo Foi Útil? Deixe seu Voto!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (13 votes, average: 4,69 out of 5)
Loading...