Hanseníase (lepra): Como se pega? Qual o tratamento? Tem cura?

A hanseníase, também conhecida como lepra, é uma doença infecciosa de caráter crônico, que se caracteriza por gerar lesões na pele, inclusive por danificar nervos permanentemente.

O bacilo de Hansen, ou Mycobacterium leprae, é a bactéria responsável por causar a hanseníase, que é uma das doenças contagiosas mais antigas do mundo, com indícios de que ela existe há mais de 4000 anos.

Curiosamente, a hanseníase é uma enfermidade com maior incidência em países com superpopulação ou menos desenvolvidos. No Brasil, o Ministério da Saúde registrou cerca de 28 mil casos da doença somente em 2016.

Sintomas da hanseníase

  • Presença de lesões pálidas ou com tonalidade avermelhada na pele, geralmente sem forma regular e limites imprecisos;
  • Perda de pelos e ausência da transpiração nos locais das lesões;
  • Insensibilidade ou dormência na área das lesões, bem como perda da força muscular;
  • Retração dos dedos e aparecimento de inchaços e caroços em locais mais frios do corpo, como pés, mãos, cotovelos e orelhas;
  • Dor nos olhos e problemas de visão;
  • Deformidade de membros, principalmente em nariz e orelhas.

Hanseníase – forma de contaminação

A contaminação se dá ao ter contato com o bacilo de Hansen, causador da doença. Trata-se de uma bactéria que está presente em secreções nasais e gotículas de tosse, espirro e fala de pessoas com hanseníase. Por isso, a doença é considerada contagiosa.

Um detalhe importante é que a contaminação ocorre com a convivência prolongada com a pessoa infectada. Somente tocar a pele do paciente não transmite a doença.

Outra informação essencial é que pacientes em tratamento e sob acompanhamento médico não eliminam mais a bactéria em suas secreções. Portanto, neste caso não há perigo de contrair a doença.

Evolução da hanseníase

Esta é uma doença que se não for tratada logo no início pode gerar sérias complicações. Além da deformação de partes do corpo, a hanseníase causa invalidez, que pode ser permanente em alguns casos.

A gravidade das sequelas dependerá da resistência do sistema imunológico do paciente e se ele for diagnosticado e tratado no início do desenvolvimento da doença. Daí a importância de procurar um médico assim que notar os primeiros sintomas.

Tratamentos para hanseníase

A hanseníase é uma doença curável, sendo que o tratamento costuma ser feito com uma associação de medicamentos antibióticos para combater o agente causador da enfermidade, livrando o organismo de uma vez por todas da sua presença.

Também é comum a indicação de esteroides, que têm o poder de simular efeitos hormonais, o que ajuda a reduzir os quadros inflamatórios típicos da doença, além de acelerar o crescimento de novos tecidos, reparando lesões.

Esse é um tratamento feito por um longo período, com o mínimo de 6 meses e muitas vezes ultrapassando um ano, sempre com consumo de remédios e acompanhamento de um médico especialista.

Por ser uma questão de saúde pública, o tratamento da hanseníase é fornecido gratuitamente em unidades médicas do governo, facilitando o acesso aos medicamentos mesmo para famílias mais pobres.

Depois de eliminada a bactéria, o paciente pode iniciar tratamentos estéticos na pele, para minimizar efeitos e aparências anormais causadas pelas lesões. Além disso, eventuais deformidades também podem ser corrigidas com próteses e intervenções cirúrgicas.

Evite a automedicação

Como a hanseníase é uma doença bastante característica, muitas vezes ela é simples de ser diagnosticada, mas não deixe de consultar um médico especialista, no caso o infectologista, dermatologista ou imunologista.

Somente um profissional saberá em que grau de desenvolvimento está a doença e quais medicamentos devem ser aplicados para tratá-la corretamente. Por isso, em hipótese alguma faça a automedicação.

Ao adotá-la, existe a possibilidade de não curar a doença e agravar ainda mais o quadro, gerando complicações talvez irremediáveis. Portanto, ao identificar os primeiros sintomas procure um médico.

Como prevenir a hanseníase

A prevenção adequada da doença se faz procurando um médico ao entrar em contato com uma pessoa com hanseníase. Explique ao profissional o caso e que gostaria de fazer um exame preventivo, somente para identificar se houve a contaminação e iniciar o tratamento adequado.

Outra forma de prevenção é tomando a vacina BCG, que faz parte do calendário de vacinação infantil e protege eficazmente contra a doença. Se algum dos moradores da casa contrair a hanseníase, procure um médico em um posto de saúde e verifique há a possibilidade de os residentes tomarem a vacina como forma de prevenção.

Ademais, procure ter hábitos mais saudáveis, seja na alimentação, na prática de atividades físicas e, principalmente, nas condições de higiene, o que minimiza o risco de contrair a doença.



O Conteúdo Foi Útil? Deixe seu Voto!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votes, average: 4,67 out of 5)
Loading...

Leave a Reply