Exame de densitometria óssea – Preço, para que serve

Como o próprio nome sugere, a densitometria óssea é um exame que serve para descobrir a densidade mineral dos ossos de um indivíduo. De posse do resultado, pode-se compará-lo aos padrões do sexo e da idade relevantes para o caso do paciente.

Esse exame é importante para a avaliação da saúde do esqueleto humano, sendo especialmente útil para detectar precocemente problemas como osteoporose (doença caracterizada pela perda de massa óssea do corpo, o que deixa os ossos mais fracos e o indivíduo mais exposto ao risco de fraturas) e osteopenia (condição em que diminui a massa óssea do corpo e que pode evoluir para a osteoporose), que causam comprometimento da integridade dos ossos, e predizer fraturas.

desintometria ossea

Indicações – Quando fazer?

Por serem especialmente suscetíveis a doenças ósseas, mulheres acima de 65 anos e homens acima de 70 anos devem fazer pelo menos anualmente a densitometria. Também são propensos ao desenvolvimento de doenças nos ossos e devem fazer com regularidade o exame pessoas com doenças da tireoide:

  • Mulheres que estejam na pós-menopausa,
  • Pessoas que sofram de cálculo renal,
  • Doenças gastrointestinais ou cálculo renal,
  • Pessoas que fazem uso frequente de corticosteroides ou outras medicações que afetam a absorção de cálcio ou aumentam o risco de osteoporose, pessoas cujo histórico familiar abriga fraturas ou doenças como a osteoporose.

Também fumantes, sedentários e etilistas (alcoólatras) também estão mais propensos ao desenvolvimento de osteoporose e devem fazer o exame. O exame também é aconselhável para pessoas com histórico de fratura. Ele também serve para que pessoas que tiveram osteoporose diagnosticada possam monitorá-la.

Contraindicação

Felizmente, trata-se de um exame seguro, indolor e razoavelmente rápido. A densitometria exige pouco preparo prévio. Não exige, por exemplo, jejum. O paciente deve, porém, evitar o consumo no dia de suplementos de cálcio ou remédios contendo o elemento químico, pois eles podem alterar o resultado. Além disso, também deve ser evitado o uso de roupas com botões, fivelas ou itens de metal, incluindo sutiãs que tenham aros de ferro. Joias também não devem ser usadas no exame.

desintometria ossea  exameO exame também é contraindicado para mulheres grávidas ou com suspeita de gravidez (como será explicado adiante, há o uso de radiação). Como contrastes de iodo ou bário podem interferir no resultado, depois de fazer exame com contraste, deve-se esperar entre uma e duas semanas – o intervalo depende do tempo que o contraste em questão leva para ser eliminado do organismo – para realizar a densitometria.

Também é preciso esperar – o intervalo deve ser determinado pelo médico – entre a realização de certos exames radiológicos como a cintilografia e da densitometria óssea. Pessoas obesas podem não ter como realizar o exame, pois os aparelhos usados costumam suportar pesos de até 160 kg – alguns modelos suportam pesos de até 200 kg.

É importante seguir as orientações médicas e do técnico responsável.

Como é feita

Trata-se, como dito acima, de um exame seguro.  Costuma durar cerca de 15 minutos. O paciente deita-se, conforme orientado pelo técnico responsável, sobre uma mesa e dica parado enquanto medições são realizadas por um tubo de raio-X sobre seu corpo. A técnica usada é chamada Dual-energy X-rayabsorptiometryou DXA, que usa dois feixes de raio-X com conteúdos energéticos diferentes.

O aparelho usado na densitometria óssea é sofisticado, o que, além de responder por um exame relativamente rápido, produz baixa exposição à radiação – por volta de um décimo daquela associada a uma radiografia comum do tórax, por exemplo. Ainda assim, como observado acima, mulheres grávidas ou que tenham suspeita de gravidez não devem fazer o exame devido à radiação.

Embora possa ser realizada em qualquer parte do corpo, usualmente, é feita a densitometria óssea na coluna e no fêmur e no terço distal do rádio (ou seja, no terço do osso mais curto do antebraço que fica mais afastada do tronco), regiões em que costumam se manifestar mais cedo e obviamente doenças como osteoporose, que pode ser identificadas pelo exame bem antes de se tornar visível no raio-X.

desintometria ossea como fazer

No caso de pessoas com próteses em um dos fêmures, a densitometria é feita no outro. No caso de pessoas com prótese na coluna, além de analisar o fêmur, analisa-se o antebraço. Como no caso de crianças e jovens de até 20 anos o fêmur ainda está em processo de crescimento, analisa-se a coluna e o corpo inteiro.

No caso de crianças e jovens de 20 anos, caso seja verificada deficiência mineralógica, diferentemente do que acontece com adultos, não se usa a expressão osteoporose.

O laudo que acompanha a densitometria óssea deve ser elaborado pelo médico desitometrista .Entre os dados trazidos pelo laudo, estão os valores de densidade mineral óssea encontrados (baixo valor de densidade mineral é o maior fator de risco para fratura por trauma mínimo). Valores 2,5 desvios-padrão abaixo da média de densidade mineral óssea para adultos jovens (entre 20 e 40 anos) costumam caracterizar osteoporose. Também costuma trazer valores percentuais em relação ao grupo de idade do paciente.

Preço da densitometria óssea

O preço do exame costuma variar entre R$ 100 e 300.


O Conteúdo Foi Útil? Deixe seu Voto!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Leave a Reply