Exame da Função Hepática – Como são feitos os exames do fígado, Preços

Exame da função hepática, chamado também de hepatograma, é a expressão utilizada para os testes realizados com o intuito de detectar, avaliar e fazer acompanhamento de doenças e lesões no fígado.

Na realidade, esse termo é tido como inexato, pois não há detecção de funções metabólicas ou de secreção biliar do fígado. Porém, é fundamental conhecer mais sobre esse exame, em especial se você se deparar com ele em alguma requisição médica.

Como é feito o exame de função hepática?

O exame é realizado a partir da coleta de sangue e, por isso, torna-se um procedimento muito simples e rápido.

Em primeiro lugar, é necessário que você dirija-se, com a requisição do exame em mãos, a um laboratório de sua confiança. A amostra de sangue deve ser coletada por um profissional adequado – geralmente um auxiliar de enfermagem –  que pede que você realize movimentos de repetição de abrir e fechar a mão, de modo a estimular a circulação sanguínea.

Sentado, uma borracha é amarrada logo acima do cotovelo para que as veias do braço fiquem salientes.

A partir daí, caso o técnico tenha encontrado uma veia, ele irá introduzir uma agulha para coletar o sangue necessário, para fazer a análise dos exames solicitados por seu médico.Simples, não é?

É claro que coletar sangue pode ser uma tarefa árdua para muitas pessoas, em especial para aquelas que têm certa fobia ou mesmo problemas para “encontrar” as veias. Em certos casos, o paciente pode, também, fazer a coleta deitado em uma maca.

Após o procedimento, a área que foi perfurada pela agulha precisa ser comprimida com a ajuda de um algodão para estancar o sangue. No local, pode ser que se forme um pequeno hematoma, mas isso varia de paciente para paciente.

exame da função hepática

Entenda o exame da função hepática

O exame é uma maneira clara de investigar a presença de doenças no fígado, medindo também a gravidade e a progressão delas. Caso já exista o problema, uma pessoa pode seguir fazendo este exame para avaliar se o tratamento está dando respostas positivas.

Para entender como funciona o resultado do exame de função hepática, é fundamental que você entenda a própria composição dele, que se constitui por meio de vários testes, todos realizados pela amostra obtida na coleta.

Saiba quais são os testes que aparecem no resultado dos exames e o que eles significam:

  1. Alanina aminotransferase (ALT ou TGP): enzima que auxilia na identificação de lesões e doenças no fígado. Esta enzima pode ser encontrada não somente no fígado, mas, também, nos músculos e no coração, porém em menor quantidade. No exame de sangue haverá algum problema no fígado quando a enzima estiver com níveis aumentados;
  1. Aspartatoaminotransferase (AST ou TGO): outra enzima que serve para mostrar se há alguma lesão no fígado ou no pâncreas. Presente também nos músculos, coração e cérebro, essa enzima estará elevada quando apresentar algum problema hepático;
  1. Fosfatase alcalina: enzima que está presente em vários tecidos do corpo, mas pode ser encontrada em maior quantidade nas células dos ductos biliares, os canais que têm a responsabilidade de conduzir a bile do interior do fígado para o intestino. Este teste tem como intuito investigar, também, doenças nos ossos. Geralmente, a enzima estará aumentada quando ocorrer obstrução destes ductos;
  1. Albumina: é uma proteína produzida no fígado e que pode ter sua concentração diminuída quando existe alguma doença hepática ou doenças renais. O exame visa medir, portanto, a quantidade de albumina no sangue.
  1. Bilirrubinas total, direta e indireta: são três testes em que a bilirrubina total tem como intuito medir a bilirrubina no sangue, enquanto que a direta mede a forma em que esta é conjugada (isto é, combinada com açúcar) no fígado. Já a bilirrubina indireta é a forma não conjugada. Veja aqui como funciona o exame.
  1. Gama-glutamiltransferase (GGT) – conhecido também como Gama GT: enzima que tem o fígado como principal fonte, mas também se encontra nos rins, baço e pâncreas. A enzima pode estar aumentada quando existir doenças que ofereçam danos agudos ao fígado ou nos dutos biliares.

Além destes principais testes, o exame da função hepática pode conter, ainda, o teste de proteínas totais, o de desidrogenase láctica (DHL) e o tempo de protrombina (TP).

doenças do fígado exame

Por que fazer o exame

O exame da função hepática é muito indicado pelos médicos quando a pessoa possui sintomas que levem a crer que existe alguma doença no fígado. São eles:

  • Alteração anormal de peso;
  • Fadiga;
  • Falta de energia;
  • Fezes claras;
  • Fezes muito escuras ou com sangue vivo;
  • Icterícia;
  • Inchaço ou dor na área abdominal;
  • Náuseas;
  • Perda de apetite;
  • Urina escura;
  • Vômito acompanhado de sangue;
  • Vômitos e/ou diarreia.

Além disso, o exame da função hepática – ou somente um ou mais destes testes – pode ser solicitados pelo médico quando ocorrer exposição ao vírus causador da hepatite (mais detalhes aqui), bem como:

  1. Ter histórico familiar de doença hepática;
  2. Consumir bebida alcoólica em excesso;
  3. Fazer uso de medicação que pode causar lesão no fígado.

É essencial procurar um profissional de saúde e comunicar qualquer sinal, sintoma ou mesmo algum hábito que pode afetar a saúde de seu fígado e de todo o seu organismo de modo geral.

Preço

Para fazer o exame da função hepática, não há exigências quanto a dieta ou preparo especial, sendo necessário apenas cumprir um jejum, estipulado pelo laboratório onde você irá realizar a coleta de sangue.

Não é possível estimar um preço correto para o exame da função hepática, pois cada teste dentro deste tem um valor individual, que irá variar para cada laboratório. De todo modo, os valores são baixos e acessíveis para grande parte da população.

Vale ainda lembrar que os exames da função hepática podem ser feitos gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Recomendados para você:


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply