Estomatite: o que é? Como acontece? Quais os sintomas?

A estomatite é a inflamação da mucosa da boca, que passa a apresentar sinais de inchaços e feridas. Popularmente chamada de “sapinho”, essa é uma doença que possui dois tipos:

  • Aftosa: surge quando o sistema imunológico está baixo, geralmente a cada 15 dias ou mensalmente.
  • Herpética: também conhecida como gengivoestomatite herpética, é transmitida por um vírus. Este é um tipo mais complexo, já que toda a boca e a garganta são afetadas.

Causas da estomatite

Veja aqui quais são os principais sintomas de estomatite

No caso da estomatite aftosa a principal causa é o sistema imunológico enfraquecido, que faz com que feridas apareceram no interior da boca e surja a inflamação da mucosa.

Já quando se fala na estomatite herpética, o vírus HSV-1 ou da família Coxsackie (menos comum) é responsável por causar a doença. Ele aproveita que o sistema imunológico do paciente não está fortalecido e se instala no organismo, provocando a inflamação.

Além disso, bactérias e fungos também podem causar a estomatite, inclusive fatores paralelos, tais como:

  • Traumas e lesões no interior da boca;
  • Uso de aparelhos odontológicos;
  • Úlceras orais;
  • Gengivite;
  • Cáries nos dentes;
  • Doenças que enfraquecem a imunidade, como AIDS, Crohn e Lúpus;
  • Tratamentos médicos agressivos, como radioterapia e quimioterapia;
  • Tabagismo e alto consumo de álcool.

Sintomas da estomatite

  • Vermelhidão na gengiva;
  • Aparecimento de pequenas lesões no interior da boca, geralmente arredondadas;
  • Surgimento de bolhas que se rompem e se transformam em úlceras, que se espalham pela gengiva e língua, podendo chegar até a faringe e perto das amígdalas;
  • Dor na boca, muitas vezes intensa, dificultando a alimentação;
  • Febre alta;
  • Dor de cabeça;
  • Falta de apetite.

Esses sintomas tendem a durar pelo menos duas semanas, sendo que nos primeiros sete dias são mais fortes, que é quando a boca apresenta maior sensibilidade e as lesões começam a surgir.

Diagnóstico da estomatite

O diagnóstico é realizado por um médico (clínico geral ou pediatra) e envolve somente o exame físico. Em casos específicos, o profissional pode pedir exames de laboratório para verificar se o causador da doença é um vírus ou se uma doença diferente está provocando a estomatite.

Tratamento para estomatite

Qual o tratamento mais indicado para a estomatite

O tratamento de estomatite costuma ser feito com uso de medicamentos antivirais, além de analgésicos tópicos, que são aplicados para amenizar a dor provocada pelas feridas.

Em casos especiais, o médico pode prescrever corticosteroides, que atuam na redução da inflamação da mucosa da boca. Se a doença for causada por bactérias, o especialista recomendará o uso de antibióticos.

Importante salientar que embora se alimentar seja praticamente impossível durante a doença, o paciente deve consumir algo para reforçar o sistema imunológico. Por isso, durante o tratamento o médico indica uma dieta baseada em líquidos.

Remédios para estomatite

O brometo de pinavério, Gingilone e Hexomedine costumam ser os medicamentos mais indicados por profissionais para tratamento da estomatite, demonstrando bons resultados.

Mas, como todo remédio eles só devem ser tomados se prescritos por um profissional. Evite a automedicação, para não correr o risco de tomar algo errado e não tratar a doença, mas sim piorá-la e ainda enfrentar efeitos colaterais.

Prevenção da estomatite

Na maioria dos casos é possível prevenir a estomatite, basta seguir algumas medidas básicas, como:

  • Lavar as mãos com frequência, especialmente de crianças, que costumam levá-las à boca mais vezes durante o dia, facilitando o contato com os causadores da doença;
  • Mantenha uma higiene oral adequada, com limpezas diárias da boca. Periodicamente visite um dentista, para tratar gengivite ou cáries, que também podem causar a doença;
  • Adote hábitos de vida saudáveis, com uma alimentação rica em nutrientes. Assim, o sistema imunológico ficará fortalecido. Além disso, evite o tabagismo e o consumo excessivo de álcool.

Estomatite – população de risco

A estomatite é uma doença mais comum em crianças, por isso é importante sempre incentivar a correta higienização das mãos e bucal, inclusive a alimentação saudável, para garantir um sistema imunológico forte e resistente.

Além disso, a doença também é frequente na primeira infância, especialmente após o sexto mês de vida, que é quando a maioria dos bebês param de se alimentar com leite materno, que é rico em anticorpos e evitam complicações como a estomatite.

Na fase adulta, pessoas com problemas bucais e dentais, inclusive que tenham câncer ou doenças que afetam a imunidade, são mais suscetíveis a desenvolver a estomatite.

Tabagistas e alcoólatras também entram na lista de população de risco, uma vez que o consumo de tais substâncias altera a mucosa da boca e pode facilitar o aparecimento da doença.


O Conteúdo Foi Útil? Deixe seu Voto!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votes, average: 1,50 out of 5)
Loading...

Leave a Reply