Eletroneuromiografia – Detecta quais doenças, Dói, Preço médio

Eletroneuromiografia (ENMG), também conhecido como eletromiografia (EMG), é o nome de um exame responsável por avaliar a função do sistema nervoso periférico e muscular, que se dá por meio do registro de respostas elétricas, geradas por estes sistemas.

O exame pode localizar a lesão no sistema nervoso periférico, fornecendo informações sobre ela, o grau de comprometimento e o curso temporal.

Esse procedimento é complementar aos exames que são realizados em consultório. Conheça sobre a eletroneuromiografia:

  • Como é feito o exame;
  • Que doenças são detectadas;
  • Sintomas destas doenças;
  • Riscos;
  • Custo do exame.

E outras informações importantes para você!

Eletroneuromiografia

Como é feita a eletroneuromiografia

A eletroneuromiografia pode ser realizada no próprio consultório do médico capacitado, que tenha o equipamento apropriado – o eletroneuromiógrafo –, onde será solicitado que o paciente deite em posição dorsal. Não existe preparo prévio para o exame, mas existem três recomendações importantes:

  • Não fazer uso de quaisquer cremes, óleos ou loções sobre a pele, pois eles podem afetar a adesão dos eletrodos ou a própria condutividade deles;
  • Sob orientação médica, suspender o uso de medicações que interferem na condutividade nervosa;
  • É interessante vestir uma roupa adequada – para exames feitos nos membros superiores, indica-se uma camiseta de manga curta, enquanto que para os membros inferior, indica-se um short, bermuda ou saia.

O tempo do exame de eletroneuromiografia varia conforme os segmentos corporais que serão observados. Em geral, ele pode durar de 20 a 30 minutos.

Deitado, o exame de eletroneuromiografia será composto por duas etapas:

  • Estudo dos nervos periféricos (neurografia);
  • Estudo dos músculos (miografia).

Veja só o que acontece no exame:

  • O médico responsável irá colocar alguns eletrodos na pele de seus braços, pernas, face ou tronco, de modo que eles conduzam os impulsos elétricos;
  • eletroneuromiografia diagnosticoEsses eletrodos irão dar pequenos choques, para que seja possível avaliar a condição do nervo;
  • O eletroneuromiógrafo registra a resposta do nervo;
  • Os choques são aplicados nos nervos do membro oposto (braço ou perna), para fazer comparações no nervo analisado.

Este é o procedimento de estudo dos nervos periféricos. Agora, em relação aos músculos:

  1. Insere-se agulhas descartáveis muito finas – que lembram as utilizadas na acupuntura – nos músculos que serão analisados.

Em geral, estudam-se cerca de 4 a 6 músculos por extremidade.

  1. O músculo precisa estar em repouso, por alguns momentos e depois ser contraído;
  2. O eletroneuromiógrafo fará o registro da atividade elétrica muscular dos dois períodos (em repouso e em contração).

A eletroneuromiografia caracteriza-se por ser um exame complexoe pela dúvida se haverá dor ou não. Os dois processos realizados dentro do exame de eletroneuromiografia podem gerar certo desconforto para o paciente, mas tudo dentro do tolerável por qualquer pessoa.

Contudo, sugere-se que o paciente tenha uma conversa com o médico para sanar seus questionamentos.

Eletroneuromiografia detecta quais doenças?

A eletroneuromiografia tem como indicação verificar ou observar se existem alterações nos nervos periféricos ou nos músculos, pois estas lesões estão relacionadas por variadas causas.

De todo modo, o procedimento visa averiguar a suspeita de doenças:

  1. Do Neurônio Motor (como a esclerose lateral amiotrófica, a poliomielite, a atrofia muscular espinhal, etc.),
  2. Dos Nervos Periféricos (como trauma dos nervos, mononeuropatias – paralisia facial e síndrome túnel do carpo –, mononeuropatias múltiplas e polineuropatiasaxonais e desmielinizantes);
  3. Das Raízes Espinhas (como hérnia de disco, diabetes, inflamação, artrose da coluna, etc.);
  4. Da Transmissão Neuromuscular(como miopatias, botulismo, distrofias musculares, paralisias periódicas, etc.).

A suspeita do paciente apresentar alguma inflamação, trauma ou infecção do sistema nervoso periférico pode vir acompanhada de sintomas (isso pode facilitar a escolha da realização do exame de eletroneuromiografia), relacionados com distúrbios motores e “áreas anestesiadas”:

  1. Sinais de fraqueza;
  2. Sensação de formigamento;
  3. Diminuição da força;
  4. Perda de massa muscular;
  5. Câimbras;
  6. Tremores em excesso.

Contraindica-se a realização do exame eletroneuromiografia em pessoas que fazem uso de medicamentos anticoagulantes e que apresentem lesões inflamatórias, infecciosas ou neoplásicas na pele, em área próxima em que a agulha será inserida.Esse procedimento deve ser realizado por um profissional especializado em neurologia – veja aqui mais sobre a especialidade.

Riscos do exame

eletroneuromiografia como funcionaNão existe qualquer risco que prejudique o paciente quando este for fazer a eletroneuromiografia. No entanto, pode existir a dor ou o desconforto na aplicação dos choques ou na colocação das agulhas.

Além disso, é comum que os locais onde foram aplicadas as agulhas fiquem marcadas, sumindo ao longo dos dias.

Também, pode ocorrer um desconforto muscular, por certos dias após o exame.

Custo médio do exame

Bastante específico, a eletroneuromiografia acaba não sendo um exame muito caro, sendo que, em média, no Brasil,o custo varia em R$250,00, mas o valor pode aumentar, dependendo da quantidade de segmentos do corpo que serão analisados pelo médico.

O procedimento é coberto por alguns planos de saúde – é necessário que você verifique com a administradora do seu plano para ter essa informação.

No Sistema Único de Saúde (SUS) é possível solicitar a eletroneuromiografia, porém pode ser um pouco demorado. Entre em contato com a Secretaria da Saúde de seu município, para saber a possibilidade de acelerar a autorização do procedimento.

Recomendados para você:


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Leave a Reply