Candidíase – Todos os tipos, diagnóstico, sintomas, tratamento e o drama de quem convive com a doença

A candidíase é uma doença infecciosa causada por fungos, a sua manifestação mais comum é por conta de relações sexuais, ela se manifesta tanto em homens quanto em mulheres, mas o gênero feminino é mais vulnerável devido à sensibilidade da vagina. Os principais sintomas são a irritação, coceira, corrimento espesso e esbranquiçado. Alguns casos podem se manifestar sem a relação sexual, uma vez que os fungos estão naturalmente presentes na flora vaginal.

Conhecer o diagnóstico correto e realizar o tratamento adequado é a forma mais eficaz de eliminar o problema. Aqui você confere tudo o que é preciso saber para reconhecer se está com candidíase, como prevenir e eliminar o problema.

Sintomas da candidíase

A análise dos sintomas pode ser feita em casa sozinha e exige somente a observação. Ela é importante para ajudar no momento do diagnóstico e também entender quando deve ir ao médico ou não.

O corrimento é comum para maioria das mulheres, e faz com que a mudança dos aspectos da mucosa possa passar despercebidos por longo tempo e somente aparentar incômodo quando a doença está em estágios mais avançados, caracterizado pelas feridas e desconforto.

  • Corrimento espesso, esbranquiçado e gosmento;
  • Coceira;
  • Ardência e irritação;
  • Dor durante a relação sexual;
  • Dor ao urinar;
  • Pele rachada próxima à região sexual e na virilha;
  • Sensação de queimação;
  • Coloração avermelhada típica de inflamações;
  • Escoriações na região vulvar e lábios vaginais;
  • A candidíase também pode aparecer em outros locais do corpo, como boca (candidíase bucal), lábios e dobras da pele.

O principal sintoma é o corrimento vaginal, afinal muitos dos casos em que há presença dessa situação. Estudos apontam que entre 20% a 25% dos relatos de corrimento são resultantes de infecções causadas pela candidíase.

Os sintomas da candidíase masculina são bem semelhantes, mas com algumas diferenciações como, por exemplo, no tamanho das escoriações. Para entender o diagnóstico correto e saber as especificidades sobre a candidíase no homem clique no link.

O incômodo por conta da doença não é fácil de lidar, a candidíase pode afetar a vida pessoal e desempenho sexual da pessoa ( já que não é possível realizar atividade sexual enquanto não tratar a candidíase). Por isso procurar o exame e tratamento natural é o primeiro passo após a descoberta do diagnóstico.

Como fazer o diagnóstico?

Após a análise dos sintomas você deve comparecer ao médico ginecologista ou médico geral para que sejam feitos exames laboratoriais a fim de confirmar a presença do fungo cândida ou monília, as duas espécies causadoras da doença.

Os exames mais comuns são coleta de amostras ou papanicolau – exame que realiza a raspagem do canal vaginal e colo do útero para análise.

A candidíase pode ser confundida com a vaginose bacteriana, outro tipo de infecção vaginal. No entanto elas se diferem nos sintomas. A infecção causada por bactérias tem presença de odor fétido e desagradável, além de secreção amarelada. Quando a causa do problema são os fungos, a coloração do corrimento é mais clara, esbranquiçada e sem odor – é o caso da candidíase.

O que causa a Candidíase?

Acredita-se que a candidíase é causada principalmente por relações sexuais desprotegidas, ou seja, sem o uso de camisinha feminina ou masculina. Ela é uma doença sexualmente transmissível que pode ser facilmente prevenida com uso de preservativos.

No entanto, mesmo sem contato, direto é possível que haja manifestação do fungo devido a fatores correlatos como, por exemplo:

  • Consumo excessivo de antibiótico;
  • Durante a gravidez;
  • Sistema imunológico debilitado deixa a flora vaginal vulnerável;
  • Uso recorrente de medicamentos anticoncepcionais;
  • Uso contínuo de corticoides;
  • Usar calcinhas de tecido sintético (como poliéster, nylon, l ycra);
  • Utilizar calças muito apertadas;
  • Manter a vagina exposta por muito tempo a umidade, seja dentro da água ou com biquínis ou roupas molhadas;
  • Lavagem excessiva da vagina;
  • Clima quente;
  • Falta de troca de fraldas em crianças ou idosos – quando estes são a população acometida;
  • Má higiene;
  • Uso de roupas úmidas com recorrência.

Na gravidez esse problema é ainda mais comum. Acontece que a sensibilidade da vagina aumenta, além do enfraquecimento do sistema imunológico. Para quem está grávida o tratamento para a candidíase precisa obrigatoriamente ser natural, sem uso de medicamentos, no máximo creme vaginal.

Tratamentos e exames

O tratamento da doença é feito com remédios para candidíase (confira no link) associado à práticas do dia a dia que ajudam a evitar o aumento dos fungos. São elas:

  • Usar vestuários íntimos de algodão e tecidos não sintéticos;
  • Não realizar lavagens constantes e nem duchas vaginais;
  • Não utilizar desodorantes íntimos;
  • Relação sexual somente com camisinha;
  • Evitar a relação sexual ao máximo durante o tratamento.

O uso excessivo de antibióticos e medicamentos fortes para esse problema não são indicado. Eles enfraquecem o organismo e podem afetar muito o bem-estar. Prefira tratamentos naturais com práticas simples, e assim terá resultados iguais, sem necessidade de sobrecarregar o organismo com efeitos colaterais.

Candidíase Crônica – Os dramas de quem convive com a doença

A candidíase é uma doença comum, principalmente entre as mulheres (a candidíase vaginal), cerca de 75% delas têm essa infecção pelo menos uma vez na vida de acordo com estudos da Epidemiology and Pathogenesis of recurrente vulvovaginal candidiasis.

A candidíase recorrente se manifesta várias vezes devido à proliferação excessiva de fungos do gênero cândida na região da flora vaginal. Além dos fatores ginecológicos envolvidos, essa manifestação é comum em mulheres que sofrem com o estresse, ansiedade, sistema imunológico fraco, desnutrição ou doenças, como diabetes, câncer e outros.

O drama da vida de mulheres que precisam aprender a conviver com a candidíase recorrente vai além do remédio específico para a cândida, precisam enfrentar mudanças na vida pessoal que estimulem a saúde. Isso leva em consideração mudança de hábitos alimentares, inclusão de vitamina A e D nas dietas, bom sono e controle da ansiedade.

Alias o tratamento 100% sem remédios é totalmente possível. Alguns livros e técnicas se destinam a ensinar como tratar e curar essa doença sem nem necessidade de creme vaginal. As práticas de higiene, nutrição e bem estar estimulam o bom funcionamento do sistema imunológico que consegue, por si só, tratar a doença.

Candidíase Intestinal

A candidíase intestinal é menos comum, ela se desenvolve pela proliferação exagerada do fungo Cândida albicans dentro do canal intestinal. Os principais sintomas são analisados a olho nu pela análise das fezes que são esbranquiçadas ou com resíduos brancos. Exames laboratoriais devem confirmar lesões na parede do intestino e, em casos mais sérios, podem evoluir para alterações no trato digestivo e até no sistema nervoso central.

Quem apresentar os sintomas deve consultar um médico proctologistas, quando homens, e para as mulheres ginecologistas. O tratamento mais comum é feito a base de Fluconazol e outros antifúngicos.

Recomendados para você:


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (20 votes, average: 4,55 out of 5)
Loading...