Os antibióticos são a classe de remédios que combate infecções e outras doenças causadas pelas bactérias. Hoje em dia no Brasil é preciso a retenção da receita para que seja possível comprar os medicamentos, que devem ser prescritos por um médico. Assim, evita-se que haja o uso descontrolado e indevido destes, que pode ocasionar no surgimento de bactérias resistentes aos antibióticos, agravando quadros de doenças e causando complicações mais sérias.

Antigamente, com a venda liberada desses medicamentos, muitas pessoas o tomavam por qualquer sintoma. Era comum, por exemplo, tomar antibióticos para a garganta até mesmo para um simples resfriado, o que tornava as bactérias cada vez mais resistentes, não melhorava os sintomas e tornava o remédio ineficaz quando era de fato necessário tomá-lo.

Até 1920 as infecções eram as principais causas de morte. Depois deste ano, finalmente foi possível combater a proliferação das bactérias no organismo devido à invenção dos antibióticos. Eles são efetivos apenas em doenças causadas pelas bactérias e não por outro microorganismo, como doenças provindas de fungos, parasitas ou vírus. Nesses outros casos é preciso drogas específicas para tratar os problemas.

Os antibióticos matam ou inibem o crescimento das bacterias. São classificados em bactericidas, quando as matam por completo, ou bacteriostáticos, quando impedem o crescimento desses microorganismos. Ambos auxiliam o sistema imunológico, para que ele consiga combater as infecções.

Ele foi descoberto acidentalmente em 1928, quando o bacteriologista Alexander Fleming matou bactérias que cultivava acidentalmente com fungos penicillium. Ao redor deles não haviam bactérias. O experimento então deu origem à penicilina. Hoje em dia muitos antiobióticos são naturais, como é o caso da penicilina, e outros são sintetizados 100% em laboratórios.

Como tomar o Antibiótico Correto?

antibióticos

Nem todas as bactérias agem igualmente aos antibióticos. Uma infecção urinária, por exemplo, pode não ter origem à bactéria que normalmente iniciam o quadro, podendo ser necessário outro tipo de medicamento. É sempre necessário utilizar o exame de cultura para ter certeza do causador das doenças, para então iniciar o tratamento correto.

Outro exemplo é o hospedeiro (paciente que está infectado pelas bactérias) já ter desenvolvido resistência ao antibiótico comumente usado para tratar tal doença, sendo necessária a utilização de uma nova medicação. Veja alguns dos antibióticos mais populares:

Levofloxacina

Levofloxacina

A Levofloxacina foi inventada no Japão em 1993 e é encontrada nas farmácias com diferentes nomes: Takov, Tavaflox, Levoxin, Tamiram, Levaquin, Vonax, Tavagran ou Livepax. Ela é combate bactérias resistente aos antibióticos comuns. Pode ser prescrito para amplas infecções, onde o causador é desconhecido. Porém, nesses casos, quando descoberta a origem da infecção o tratamento é interrompido e se inicia o uso de mais restrito ao tipo de bactéria que está causando a doença.

Esse remédio geralmente é usado para tratar doenças respiratórias do trato superior e inferior. Como: bronquite, sinusite e pneumonia. Também é indicado para infecções subcutâneas, como celulite, furunculose e abscessos.

Metronidazol

Metronidazol

O Metronidazol é usado no combate de infecções no intestino e vagina. Sua fórmula é encontrada em gel e comprimidos. O uso vai variar, dependendo da prescrição médica. Trata giardíase, amebíase, vaginite, tricomoníase e infecções causadas pelo Bacteroides Fragilis, Fusobacterium sp, Eubacterium e cocos anaeróbios. É contra indicado para grávidas, mulheres que estejam amamento e pessoas com sensibilidade à ingredientes da fórmula.

Floratil

floratil

O Floratil não é um antibiótico, mas sim um restaurador da flora intestinal. Desenvolvido para tratar a diarréia, ele é eficiente no combate de bactérias do tipo Clostridium Difficile. O Floratil pode ser encontrado em pó ou vir em forma de cápsula. A dose varia de 100 mg a 250 mg. Ele deve ser tomado duas a três vezes ao dia em jejum, meia hora antes das refeições.

Benzetacil

Benzetacil

Benzetacil é bastante temido, pois é aplicado na forma de uma injeção, à qual é associada a fama de dolorida. É indicado no combate de bactérias sensíveis à penicilina G. Usado no combate de infecções respiratórias no trato superior (faringite, amigdalite e laringite) e na pele. Trata infecções venéreas, como sífilis, bouba, bejel e pinta e também profilaxia da doença renal (glomerulonefrite aguda) e da doença reumática.

Azitromicina

Azitromicina

A Azitromicina é indicada para infecções respiratórias como rinite, sinusite, bronquite, faringite e até infecção no ouvido. Combate infecções na pele e no tecido, que incluem músculos,  tendões e gordura. Também trata infecções genitais, como a uretrite e aquelas provindas de DSTs – gonorréia e clamídia.

Ela é contra indicada para mulheres grávidas, que estejam amamentando ou pessoas com históricos de alergia ou sensibilidade à componentes da fórmula.

Amoxiclina

Amoxiclina

A Amoxiclina pertence à família das penicilinas, os primeiros antibióticos descobertos e que variam de fungos. É utilizada para tratar infecções do trato respiratório e é eficaz contra a maioria das bactérias. Por ser eficiente para diferentes tipos de infecções, é usado em casos mais graves de infecção urinária, sinusites e outras inflamações.

Combate as bactérias: coli, Streptococcus, gonorrhoea, Enterococcus, Shigellae, Haemoplhilus, Salmonella, Helicobacter e Moraxella. Ela quase não possui efeitos colaterais. Apenas 3% dos pacientes relataram problemas, que podem incluir: náuseas, candidíase vaginal, cólicas, diarréia e/ou urticária.

Cefalexina

Cefalexina

Ela trata bactérias comuns e é muito utilizada para combater infecções de pele, como furúnculos, celulites, erisipela e também cistite, faringite ou outras pequenas infecções. A Cefalexina é parente da penicilina e muitas vezes usada para prevenir infecções 48 horas antes de cirurgias e procedimentos médicos.

Pode ser encontrada no mercado com os seguintes nomes: Betacef, Cefaben, Cefacimed, Cefagel, Cefagran, Cefalexan, Cefanal, Cefaxon, Ceflexin, Ceporexin, Kefalexina, Keflex, Keforal ou Neo Ceflex.