Muito conhecido pelos brasileiros, os analgésicos são usados de maneira desenfreada pela população, isso pelo fácil acesso e ação rápida e simples no organismo. São denominados analgésicos todos aqueles medicamentos que tenham como intenção diminuir ou acabar de vez com dores, independente se são musculares, na cabeça, nas articulações ou outros locais.

Eles usam de dois grupos: os analgésicos opiáceos – aqueles que usam a morfina como agente principal -, e os não opiáceos – combatem a dor/ febre, mas não acabam com inflamações. Leia mais sobre eles abaixo.

O que são analgésicos opiáceos?

O que são analgésicos opiáceos?

Esses medicamentos precisam exclusivamente de receita médica para seu consumo. Eles estão diretamente ligados a morfina, uma substância altamente propicia a vícios, derivada do ópio. Esses analgésicos são usados em caso de dores severas, isso porque é eficiente e tem ação rápida no corpo.

Sua origem pode ser obtida naturalmente ou por meio laboratorial.

O problema do consumo desse tipo de substância é seu alto nível de dependência que causa. Isso sem falar nos efeitos secundários, que são:

  • Dificuldade de ir ao banheiro;
  • Sono;
  • Náuseas e enjôos;
  • Sensação de felicidade e de desânimo em pouco tempo;
  • Hipotensão;
  • Alta formação de pruridos;
  • Dificuldade de respiração.

Quando em excesso pode até mesmo contribuir para o coma e em muitos casos, a morte. Esse medicamento só deve ser consumido quando indicado por um médico de confiança, sua ingestão é muito nociva para o corpo, além de que pode causar diferentes reações com diferentes medicamentos.

E os Analgésicos não opiáceos?

Os mais usados pela população brasileira, o paracetamol e o ibuprofeno lideram a lista desse tipo de medicamento. Sua venda é livre aqui em território nacional, porém em muitos países é liberada somente com a apresentação de receita médica. Veja para que cada um deles serve abaixo:

  • Paracetamol: ele tem propriedades analgésicas, porém não atua como anti inflamatório. Ele também tem ações anti térmicas em sua fórmula, diminuindo a febre do corpo. É encontrado em forma de cápsulas, xaropes, gotas e de modo injetável. Ele é super consumido pelos brasileiros, porém é considerado perigoso para o fígado por sua composição ter potencial hepatotóxico. Respeite a quantidade indicada pela bula.
  • Ibuprofeno: ele é um compro de anti inflamatório, antitérmico e também analgésico, usado comumente para o tratamento de dores em todo o corpo, febre e contra possíveis inflamações.  Assim como o Paracetamol, é indicado o seu uso de maneira dosada pelo médico ou conforme está escrito na bula, ele pode acarretar sérios problemas no fígado.

Eles são muito usados no tratamento das dores musculares, nos dentes, nos ossos, enxaqueca, porém não combatem a inflamação ou outros problemas mais graves.

Quando consumidos em grande quantidade além do normal, podem causar grandes danos ao fígado. Eles devem ser engolidos com água, nunca com outro tipo de bebida como café, alcoólicas ou até refrigerantes, isso aumenta mais ainda os danos hepáticos.

Ele não é indicado para mulheres grávidas por prejudicar o mecanismo de coagulação do bebê; pessoas com problemas hepáticos devem procurar maneiras alternativas.

Outros tipos de analgésicos

Existem vários outros tipos de analgésicos existentes nas farmácias e que podem ser usados para aliviar dores no corpo ou até mesmo localizadas, como por exemplo:

  • Diclofenaco: ele é muito indicado para quem sofre com artrites, dores nas costas, nos ombros, com o reumatismo, úlcera, pequenas lesões e até torções. Muitas mulheres utilizam ele também quando estão com grandes cólicas menstruais. O seu uso geralmente é administrado com o uso de outro medicamento que age diretamente no problema causador das dores.
  • Nimesulida: conhecido como um dos anti inflamatórios mais usados pelos brasileiros, tem propriedades analgésicas que combate inflamações, febres e dores no corpo direcionadas. Ele é encontrado em embalagens com cerca de 12 comprimidos ou em sua forma líquida com 15 ml. Seu uso é indicado para adultos e crianças com mais de 12 anos.
  • Dipirona: seu efeito surge dentro de meia hora ou até 1 hora, tudo vai variar de acordo com cada organismo e como reage a ingestão. Ele permanece no corpo por até 4 horas aliviando dores e com propriedades antitérmicas também. Aqui no Brasil a sua comercialização é livre, porém em muitos países ele é controlado devido ao seu uso desenfreado e que traz complicações a longo prazo para o fígado.
  • Profenid (Cetoprofeno): é conhecido por ter em uma cápsula a ação de antitérmico, analgésico e também de anti inflamatório, ele é indicado para o tratamento de dores no corpo no geral, porém é indicado que seja recomendado pelo médico de confiança, assim como qualquer outro medicamento, isso porque tem reações adversas como qualquer outro remédio.
  • Dorflex: também um dos grandes conhecidos nas farmácias brasileiras, ele serve principalmente para aliviar dores de cabeça, musculares e muito mais, tudo isso geralmente ocasionado pelo stress do dia a dia. Ele é vendido livremente nas farmácias brasileiras sem a necessidade de receita médica.
  • Buscopan: possui em sua fórmula o butilbrometo de escopolamina, ele é usado para cólicas, dores no intestino, nos órgãos sexuais e também no trato urinário. Ele pode ser encontrado por meio de solução oral, em comprimidos e também de maneira injetável.
  • Torsilax: muito usado no tratamento do reumatismo, ele também é recomendado para doenças parecidas e que causam dores nos músculos, esqueleto e também nas articulações no geral. O consumo dessas drágeas é a cada 10 horas, sendo que não se deve ultrapassar o período de 10 dias de uso.
  • Tandrilax: assim como o Torsilax, esse medicamento também é indicado para infecções, inflamações e doenças como o reumatismo, assim como a fibromialgia.

É importante lembrar sempre que qualquer um dos medicamentos acima aliviam as dores do corpo em relação a dor e são de livre comércio dentro do Brasil, porém é necessário consumir somente com a indicação médica adequada. Muitos deles quando utilizados em exagero podem ocasionar problemas graves ao fígado e outras partes do organismo.

Converse com o seu médico e tome o remédio que é mais indicado para o seu organismo e não com base no dos outros.